Paralisação geral dos caminhoneiros entra em seu segundo dia em Barra Mansa

0

BARRA MANSA

A paralisação geral dos caminhoneiros entra em seu segundo dia e não há previsão para acabar.  Em Barra Mansa, há postos de bloqueio no Km 276, na Flumidiesel e Km 275 na Bocaininha, em ambos os sentidos. Ao longo da Rodovia Lúcio Meira (BR 393) há caminhões parados em postos de combustíveis e nos acostamentos. Nesses locais, não há retenção do trânsito, apenas lentidão.

Segundo o presidente Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga do Sul Fluminense (Sinditac), Francisco Wilde, o movimento segue pacífico com pontos isolados de vandalismo. “Infelizmente, sempre há um mais exaltado, que gosta de tumultuar, temos uma comissão de greve, que delega funções e fiscaliza tais atos”, citou.

Wilde também comenta que não foi notificado sobre a liminar da CCR Nova Dutra proibindo o tráfego de pessoas ou estacionamento de veículos bem como, por Centrais Sindicais, Órgãos de Classe e Movimentos Sociais, estes últimos caso identificados por ocasião à participação de manifestação ‘Paralisação dos Caminhoneiros’, sob pena de multa no valor de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais), em caso de descumprimento. Foi determinado ainda o distanciamento mínimo de 500m de pessoas e veículos (participantes das manifestações) das praças de pedágio. “O Sindicato de São Paulo, recebeu, mas eu não, e, a Dutra não está parada. Nós só vamos deixar os postos quando o governo fizer algo de concreto em relação as nossas propostas”, avalia.

Segundo um caminhoneiro que preferiu não se identificar, há cerca de 300 pessoas envolvidas no movimento e muitos expectadores. “Não vamos ficar na promessa, queremos negociar com a paralisação em andamento. Da outra vez, o movimento foi suspenso e nada deu certo”, citou.

Vandalismo

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) estão circulando pelo trecho para evitar atos de vandalismo. De acordo com policial rodoviário Carlos André Nogueira Fernandes na última noite, dois motoristas, que tiveram os veículos apedrejados, foram encaminhados à 90ª DP de Barra Mansa para fazer o registro de ocorrência, por lesão corporal e por danos materiais. “No período noturno estava havendo desentendimentos entre os caminhoneiros, pois os que estavam com cargas perecíveis queriam seguir, mas, os manifestantes impediam”, citou,

REINVINDICAÇÕES

Os manifestantes reivindicam 90% do frete do CTE da Transportadora para o autônomo, tendo em vista o Projeto de Lei 528/2016; Redução do preço dos combustíveis em geral em 50%; Proibir a cobrança do pedágio do eixo suspenso em todas as rodovias (Estadual e Federal); Fim das restrições da ponte Rio-Niterói e serra de Petrópolis, pois a passagem pelo Arco Metropolitano e Magé aumenta o custo e o risco do transporte pela falta de segurança do Estado; Fim da multa de evasão de balança no valor de R$ 5 mil da ANTT; Combate à corrupção na balança; Que a ANTT cumpra o seu papel de reguladora nos meios de transporte.

 

 

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !