Papanicolau um importante aliado à saúde feminina

0

BARRA MANSA

Um dos exames mais importantes na saúde da mulher o Papanicolau tem como objetivo diagnosticar precocemente o câncer do colo do útero – o terceiro tumor mais comum entre as brasileiras. Segundo as diretrizes brasileiras, o intervalo entre os exames de Papanicolau deve ser de três anos, após dois exames anuais resultarem como negativos.

Segundo a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), cerca de 50% das pacientes brasileiras de câncer de colo de útero relatam nunca terem feito um exame durante a vida e a proporção daquelas que não realizam o exame regularmente é relevante.

De acordo com a ginecologista Mariana Gonçalves, também chamado de preventivo, o Papanicolau deve ser realizado por todas as mulheres de vida sexualmente ativa, que pertençam à faixa etária de 25 a 59 anos, por ser a faixa etária de maior ocorrência das lesões precursoras de alto grau passíveis de serem efetivamente tratadas e não evoluírem para câncer. “A continuidade do rastreamento após os 60 anos deve ser individualizada e, após os 65 anos, a recomendação é de suspender o rastreamento se os dois últimos exames dentro de um período de cinco anos estiverem normais”, citou.

Além do câncer de colo do útero e de suas lesões, o exame ajuda a diagnosticar infecções vaginais como Gardnerella vaginalis, Tricomoníase e candidíase, Além do HPV — que é um vírus transmitido por meio das relações sexuais.  “Como a coleta do exame envolve exame genital, também é possível perceber doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis, gonorreia, condilomatose, clamídia e cancroide”, explica, acrescentando que o ideal é se fazer o exame uma vez ao ano.

O processo de coleta do exame Papanicolau convencional envolve raspar as células do colo do útero com o auxílio de uma espátula e espalhá-las em uma lâmina de vidro, seguida pela fixação das células na lâmina em álcool absoluto e posterior coloração das células para visualização em microscópio. “O profissional capacitado busca ao microscópio, então, a presença de células de tamanho, contorno, coloração ou agrupamentos alterados para detecção de lesões precursoras do câncer de colo de útero ou de células francamente malignas”, acrescenta a ginecologista.

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !