Operação ‘Furna da Onça’ é desencadeada e deputados da região são alvos

0

Rio/Sul Fluminense

A Operação ‘Furna da Onça’ é um desdobramento da Operação Cadeia Velha – deflagrada em novembro de 2017 – e conta com 200 policias federais, 35 membros do MPF e 10 auditores da Receita para cumprir 19 mandados de prisão temporária, três de prisão preventiva e 47 mandados de busca e apreensão, expedidos Tribunal Regional Federal da 2a Região (TRF2), e investiga a participação de deputados estaduais do Rio de Janeiro em esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada em órgãos da administração estadual. A Operação conta com a participação do Ministério Público Federal (MPF) e o apoio da Receita Federal. A organização criminosa, chefiada por ex-governador preso, pagava propina a vários deputados estaduais, a fim de que patrocinassem interesses do grupo criminoso na Alerj. Dois representantes do Sul Fluminense, o atual deputado André Corrêa, de Valença, Vinicius Farah, eleito este ano, de Três Rios e ex-presidente do Detran, já estão presos segundo informações. O presidente do Detran, Leonardo Jacob é também de Três Rios e está sendo apontado na investigação.
Investigações apontam que, em troca de propina mensal, que variava de R$ 20 mil a R$ 100 mil e cargos, os deputados votavam sistematicamente a favor dos interesses de Cabral e Picciani, incluindo o boicote à CPI dos Ônibus, revogação das prisões decretadas pela Operação ‘Cadeia Velha’ e a, ainda, aprovação das contas do governo.
Os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.
Policiais federais cumprem, ainda, mandados de busca e apreensão no Palácio Guanabara, sede do Executivo, e também, anexo da Alerj.
A operação foi determinada pelos desembargadores da 1ª Seção Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) e se debruça também sobre a atual gestão do governo de Luiz Fernando Pezão, apesar de não haver citação direta ao governador.
ALGUNS DOS ALVOS
– Affonso Monnerat, secretário estadual de Governo;
– André Correa (DEM), deputado estadual e ex-secretário estadual de Meio Ambiente;
– Chiquinho da Mangueira (PSC), deputado estadual, preso na Barra;
– Coronel Jairo (MDB), deputado estadual não reeleito;
– Edson Albertassi (MDB), deputado afastado – já preso em Bangu;
– Jorge Picciani (MDB), deputado afastado – já em prisão domiciliar;
– Leonardo Jacob, presidente do Detran;
– Luiz Martins (PDT), deputado estadual reeleito;
– Marcelo Simão (PP), deputado estadual não reeleito
– Marcus Vinícius Neskau (PTB), deputado estadual reeleito;
– Paulo Melo (MDB), deputado afastado – já preso em Bangu;
– Vinícius Farah (MDB), ex-presidente do Detran, eleito deputado federal.
O A VOZ DA CIDADE acompanha o caso e no decorrer do dia trará mais informações.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !