OMS: Europa confirma primeiros casos de nova vertente do coronavírus

0

FRANÇA

A Organização Mundial da Saúde, OMS, informou que a França notificou oficialmente que três casos de 2019-nCoV foram confirmados no país. Dois pacientes foram detectados em Paris e um em Bordeaux.

De acordo com a OMS, as três pessoas estiveram na cidade chinesa de Wuhan, onde o primeiro caso da doença foi registrado.

A agência da ONU alertou que devido à natureza global das viagens, espera-se que outros casos da nova cepa do coronavírus possam aparecer em outros países e que é provável que outros casos surjam na Europa. A OMS incentivou os países da região a continuarem a se preparar para a situação.

Segundo agências de notícias, até este sábado, foram notificadas 1,4 infecções, com 42 mortes.

Europa

Em nota, a OMS disse que “o novo surto de coronavírus, 2019-nCoV, na China é um sinal de que todos os países precisam estar prontos para detectar e gerenciar oportunamente surtos de qualquer tipo.”

A agência acrescentou que “os primeiros casos de 2019-nCoV confirmados na Europa não foram inesperados” e que devido a natureza global das viagens nenhum país está livre “da propagação de doenças infecciosas.” For isso, a ocorrência também significa “que nenhum país pode adiar o estabelecimento de todas as medidas necessárias para proteger seu povo.”

França

A OMS elogiou a França por sua capacidade de identificar e diagnosticar rapidamente casos suspeitos de 2019-nCoV. Para a agência, o “fato de os profissionais de saúde que atendiam aos pacientes terem sido alertados para reconhecer sintomas e investigar o histórico de viagens foi fundamental para agir com rapidez e eficácia.”

A Organização Mundial da Saúde enfatizou que num “momento de incerteza sobre a maneira como um vírus se origina e se comporta, é ainda mais crítico que países, organizações e a comunidade internacional” trabalhem juntos na resposta contra o surto.

Coronavírus

Segundo a agência, o coronavírus, CoV, são uma grande família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a enfermidades mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio, MERS-CoV, e a Síndrome Respiratória Aguda Grave, SARS-CoV.

A OMS já publicou orientações para detectar e tratar pessoas com o novo vírus, incluindo a lavagem regular das mãos e cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar.

Outras medidas preventivas incluem cozinhar bem alimentos como carne e ovos e evitar o contato próximo com qualquer pessoa que apresente sintomas de doenças respiratórias, como tosse e espirros.

(*Com informações de ONU News)

* Luciano R. Pançardes – Editor Chefe

error: Conteúdo protegido !