OAB de Barra Mansa cria comissão que atenderá deficientes físicos do município

1

BARRA MANSA

Na manhã desta sexta-feira, 26, a Associação dos Portadores de Deficiência Física de Barra Mansa e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) firmaram uma parceria inédita, com o intuito de buscar melhorias para portadores de necessidades. O evento, realizado na OAB, contou ainda com um café da manhã, em comemoração aos 24 anos de luta pela causa. Na ocasião, o presidente da entidade, Aluizio Perez, nomeou uma comissão que tratará dos assuntos voltados aos deficientes físicos do município. O vice-presidente da Associação, Deonil da Costa, foi nomeado presidente da comissão, e a advogada especializada em inserção do deficiente no mercado de trabalho, Ledjane Araújo, foi nomeada como diretora.

Um dos assuntos que receberá a atenção da comissão será a inclusão de deficientes físicos nas empresas. De acordo com a Lei 8.213/91, empresas com 100 ou mais funcionários é obrigada a preencher de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados, ou pessoas portadoras de deficiência. No entanto, segundo Ledjane Araújo, essa ainda é uma realidade distante. “Existem empresas que contratam os deficientes apenas para preencher a cota, mas não dão um cargo para aquelas pessoas, onde ele não exerce função alguma. Nós queremos conscientizar a sociedade sobre a importância da integração da pessoa com deficiência”, contou.

Na apresentação para a Associação, Ledjane contou que 24% da população são de pessoas com deficiência, 0,8% estão no mercado de trabalho e 0,07% tem curso superior. “Algumas das barreiras que impedem a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho são a falta de qualificação, acessibilidade, barreiras culturais e benefícios da Previdência Social”, explicou, contando que trabalhou em uma empresa de Resende, onde conheceu de perto funcionários deficientes que tinham excelentes funções na firma, e a partir daí, ela escreveu o livro ‘Bastidores da Transformação’. “Lancei um livro que conta a história desses funcionários e como é o trabalho deles. A minha intenção é mostrar para a sociedade que existem empresas que ajudam e cumprem a lei da forma certa, e para que as pessoas entendam que os deficientes trabalham bem e são pessoas capazes”, expôs.

Ledjane Araújo, nomeada como diretora da Comissão – Foto Fábio Guimas

PRODUÇÃO DE FRALDAS

De acordo com Deonil da Costa, nomeado como presidente da Comissão do Deficiente, a equipe terá um total seis pessoas. “Ainda irei escolher quem irá participar da comissão, é necessário analisar o perfil que se encaixa o que é proposto”, disse, explicando que além de focar na inclusão do deficiente, outro objetivo será conseguir patrocínio para ajudar na produção de fraldas geriátricas. “Temos a máquina que faz mil fraldas por hora e a mão de obra. O grande problema é o patrocínio da matéria prima para a produção. Essa parceria entre a associação e a OAB, vai nos dar a oportunidade de mostrar esse trabalho nas indústrias onde podemos conseguir patrocínio”, ratificou, acrescentando que as fraldas serão doadas aos deficientes e idosos.

Deonil ainda explicou que atualmente estão inscritos cerca de dois mil deficientes na associação. “O nosso objetivo é realizar um censo para descobrir quem são os deficientes do município, porque com certeza existem mais. A ideia é ter um representante em cada bairro da cidade para reconhecer essas pessoas e trazê-las para a associação”, afirmou.

Deonil da Costa, nomeado o presidente da comissão – Foto Fábio Guimas

1 comentário

  1. Sem duvida Dona Ledjane Araújo foi a melhor escolha para ser diretora dessa comissão , conheço o trabalho e a dedicação de inserir os portadores de deficiência no mercado de trabalho sempre com muito amor. Sou PCD e obtive a oportunidade de conhece-la em uma empresa que trabalhei .Tenho certeza que as oportunidades para os deficientes irão surgir como nunca surgiram.

    Edson Junior.