Nutricionista dá dicas de como manter saudável a lancheira

0

BARRA MANSA

Ainda estamos em período de férias escolares, mas os pais já começam a se mobilizar para o inicio da volta às aulas no próximo mês. Matrícula, lista de material, novos uniformes, tudo isso já faz parte do cotidiano dos pais.

Com o retorno das atividades escolares, voltam às dúvidas na hora de montar o cardápio da criançada. O que colocar na lancheira do seu filho? Crianças em idade escolar muitas vezes manifestam suas vontades alimentares e algumas torcem o nariz para frutas, verduras e legumes. A missão é fazer com que os pequenos troquem as guloseimas, como salgadinhos, bolachas, refrigerantes e balas por alimentos mais saudáveis e nutritivos.

Mas, de que forma é possível montar este cardápio? Quais alimentos não podem faltar na rotina alimentar das crianças? Como montar pratos coloridos e interessantes a fim de despertar o interesse dos pequenos que não gostam de legumes e verduras? Como preparar lanches para crianças diabéticas ou com alto nível de colesterol? Como montar um cardápio para a semana inteira, de forma saudável e sem restrições?

A nutricionista clínica, nutricionista estética, nutricionista esportiva, fitoterapia, Karina Carvalho estaca que as preparações que serão colocadas na lancheira devem ser equilibradas em todas as refeições, contendo ingredientes que sejam fontes de proteínas (carnes, peixes, frango, ovos, feijões), fibras, vitaminas e minerais. “É importante o incentivo para o consumo de legumes e frutas em todas as refeições, pois garantem o fornecimento do conjunto de vitaminas e minerais essenciais. Para compor a lancheira, devemos incluir quatro grupos de alimentos: carboidratos, vitaminas e minerais, proteínas, gordura e açúcar”, explica Karina.

A Coach de Saúde e Emagrecimento ainda explica a importância dos grupos de alimentos no cardápio dos pequenos.  De acordo com ela, os carboidratos são responsáveis por fornecer e manter a energia, nutrindo as células e o sistema nervoso central. O consumo de carboidrato na infância é essencial para o processo de crescimento. “Ao compor a lancheira da criança, é importante incluir no mínimo uma porção dos alimentos: Um pedaço de batata doce, mandioquinha, aipim, cenoura, abóbora, itens que podem ser utilizados em preparações ou consumidos assados; quatro colheres de um tipo de cereal (arroz, arroz integral, arroz negro, aveia, quinua, amaranto ou granola sem açúcar) ou Macarrão, macarrão de arroz, macarrão de milho”, exemplifica, informando que fazem parte desse grupo os pães integrais e frutas secas.

As vitaminas e minerais são fundamentais para manter o funcionamento adequado do organismo, trazendo saúde e vitalidade para o nosso corpo. “No caso das crianças, a deficiência desses nutrientes são graves, podendo causar desde comprometimento no crescimento até problemas de aprendizagem, como falta de atenção nas aulas ou cansaço excessivo”, fazem parte desse grupo as frutas secas, legumes, alimentos fontes de cálcio como iogurtes, queijos brancos, tofu, leites vegetais enriquecidos, brócolis, sardinha, sementes de gergelim, linhaça, espinafre, grão de bico, além das sementes oleaginosas: nozes, castanhas, amêndoas, pistaches.

Já as proteínas ajudam na construção das células e devem compor a lancheira diária. “Lembre-se de ir variando os tipos de proteínas e evite os alimentos embutidos e processados, como salsicha, mortadela, linguiça, presunto. E acrescente peito de frango, atum ou sardinhas, carne de boi magra, ovos, lombo suíno, ovos de codorna, queijos brancos ou iogurtes e leguminosas como feijões, grão de bico, ervilha, lentilha”, cita.

E, por fim, as gorduras e açúcar, que, em pouca quantidade no preparo dos alimentos, é importante para não desequilibrar a alimentação. “Quando for cozinhar dê preferência ao azeite de oliva ou óleo de coco (em pequena quantidade). Quando tiver que adoçar alguma preparação dê preferência ao açúcar de coco ou demerara com moderação. Mel, melado, agave, néctar de coco podem adoçar”, citou.

Uma dica importante é procurar variar as opções ao longo da semana, isso incentiva a criança a comer com mais prazer. Outra dica bacana é convidar a criança para ajudar a montar a lancheira e pedir, por exemplo, para ela escolher qual fruta quer comer naquele dia, ou qual sabor de suco deseja, dentro das opções disponíveis.  Desenvolver a autonomia dos pequenos nessa hora, vai estimular o consumo do produto escolhido para levar para escola e vai contribuir para que eles se tornem adultos com hábitos alimentares mais conscientes.

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !