Novo padre apresenta projeto diferente para as obras da Igreja Matriz

0

BARRA MANSA

Quem acompanhou o desenrolar da aprovação das obras na Igreja Matriz de São Sebastião, fosse contra ou a favor, ficou familiarizado com o que estava sendo proposto na mudança do visual do interior da igreja. No entanto, após o Conselho Municipal de Cultura de Barra Mansa (CMCBM) aprovar a proposta das obras, exigindo apenas a contemplação do painel antigo, o padre Djalma, que assumiu a igreja no lugar do padre Milan, trouxe um novo projeto. Segundo informações obtidas pelo A VOZ DA CIDADE, a ideia apresentada é totalmente diferente da anterior e até menos polêmica, pois o que desagradava parte dos fiéis era a ideia do painel ser coberto.

Segundo explicou o presidente do conselho e presidente da Fundação Cultura, Marcelo Bravo, o novo projeto foi apresentado no mês passado e para isso uma nova comissão foi estabelecida e novas assembleias foram elaboradas. “O novo projeto apresentado é algo totalmente diferente do outro, com novos engenheiros e tudo mais. Eles consultaram o conselho para saber se seria autorizada essa mudança, e nós respondemos que, como já foi estabelecido, contando que o painel possa ser contemplado, as intervenções estão autorizadas”, relatou.

Bravo ainda contou que o novo projeto foi apresentado em uma planta baixa, por uma nova equipe de obra. “Com o novo projeto, a mureta do altar, por exemplo, vai voltar em partes. Outra mudança é que não haverá mais nenhum painel na frente do antigo e uma nova linha para o corredor central, como por exemplo, um tapete vermelho”, disse.

O A VOZ DA CIDADE entrou em contato com a Diocese de Barra do Piraí/Volta Redonda para saber mais detalhes do novo projeto e se houve algum motivo em especial para a mudança do mesmo. No entanto, até o fechamento desta matéria, não houve respostas.

PROJETO ANTERIOR

Desde novembro de 2018, a reforma da igreja gerou grandes críticas entre alguns fieis que eram totalmente contra as reformas, e, por se tratar de um patrimônio público, foram realizadas audiências públicas e reuniões do CMCBM. Foram realizadas ainda pelos membros do conselho, pesquisas históricas e visitas técnicas para elaborar o parecer final da aprovação parcial.

Na ocasião, segundo a igreja, uma das razões para a realização das obras era para atender a lei de acessibilidade e as orientações do Vaticano, como por exemplo, a mureta do altar que dividia os celebrantes dos fieis. Já em relação ao painel, o bispo-emérito, Dom Francisco Biasin, justificou na audiência pública do dia 19 de dezembro, que a imagem de um triângulo, no atual painel, já não representava a experiência atual de Deus.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !