Nível do Rio sobe em Volta Redonda e via sob Ponte Pequetito Amorim, que liga os bairros Aterrado e Niterói, é interditada

0

VOLTA REDONDA
A passagem de veículos sob a Ponte Pequetito Amorim, que liga os bairros Aterrado e Niterói, foi interditada nesta sexta-feira, dia 7, pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (SEMOP), através da Guarda Municipal de Volta Redonda (GMVR). A interdição ocorreu por causa do nível do Rio Paraíba do Sul, que transbordou devido às chuvas das últimas horas e invadiu a pista no trecho. Não há previsão de quando a via será liberada, uma vez que o tempo deve permanecer chuvoso durante todo o dia. O local foi sinalizado com cones.
De forma preventiva, a GMVR também interditou outras vias de acesso no entorno da ponte, a fim de evitar que ocorra algum acidente. O secretário municipal de Ordem Pública, tenente-coronel Luiz Henrique Monteiro Barbosa, alertou para a gravidade da situação, devido ao alto volume de chuvas nos últimos dias. “É preciso andar com cautela e não abusar da velocidade nesses dias, devido aos bolsões de água que se formam por causa do grande volume de chuva. Todo cuidado é necessário e estamos sempre de prontidão para tomar as decisões que salvam vidas”, concluiu Luiz Henrique.
Defesa Civil e Infraestrutura atuam para minimizar efeitos da chuva em Volta Redonda
A Defesa Civil de Volta Redonda e a Secretaria Municipal de Infraestrutura (SMI) trabalham para minimizar os efeitos da chuva na cidade com o mapeamento e monitoramento de pontos críticos/ameaças e a realização de serviços de manutenção. Durante a semana, equipes da SMI intensificaram a retirada de galhos de árvores e a raspagem nas vias públicas para facilitar o tráfego de veículos e evitar acidentes de trânsito.
De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Rubens Siqueira, a maior incidência de chamados feitos juntos ao órgão nas últimas horas foi com relação aos alagamentos, registrados nos bairros: Retiro e adjacências, Vila Santa Cecília, Voldac, Aterrado e Jardim Amália. Ao todo, após 1h15, o acumulado de chuva foi de 40,8mm em Volta Redonda. “É um volume de chuva considerável, visto o tempo de precipitação e a capacidade de escoamento da rede pluvial. A cidade foi toda mapeada pela Defesa Civil e estamos monitorando as ameaças e pontos críticos, principalmente no caso de escorregamentos e deslizamentos de terra”, disse Rubens, ressaltando que todos os atendimentos são feitos através de acionamentos pelo 199 da Defesa Civil.
Limpeza e manutenção
Nesta quinta e sexta-feira, dias 06 e 07, os bairros Laranjal e Santo Agostinho receberam o serviço de retirada de galhos. “Além das partes menores e mais leves, também estamos recolhendo partes de troncos resultantes de poda preventiva ou de árvores que caíram com as chuvas dos últimos dias”, explicou a subsecretária de Infraestrutura, Poliana Gama.
As equipes de Infraestrutura também atuam na prevenção de alagamentos; maior incidência de chamados da Defesa Civil nas últimas horas. A limpeza de ralos para favorecer o escoamento da água pluvial e a retirada de entulhos das vias públicas que também podem obstruir a passagem são outros serviços diários. Nesta sexta-feira, dia 7, por exemplo, entre os bairros beneficiados estavam Vila Rica/Tiradentes, Aterrado, Retiro, Padre Josimo, Santa Cruz e Santa Rita de Cássia.
De acordo com o secretário de Infraestrutura, Jerônimo Telles, as equipes da secretaria atuam diariamente na manutenção da cidade. “Fizemos um trabalho preventivo de limpeza de bueiros e poda de árvores, mas com o grande volume de chuvas, temos que atuar para minimizar os transtornos para a população”, disse.
Outro serviço constante executado pela SMI, também intensificado neste período do ano, é o de roçada. A chuva favorece o crescimento da vegetação e a retirada do mato em alguns pontos melhora a visão dos motoristas e, em outros, facilita a passagem de pedestres e aumenta a segurança pública.