Museu Imagem do Som comemora o ‘Dia da Bossa Nova” com exposição Arte na Capa em Resende

0

RESENDE

O Museu da Imagem e Som preparou uma exposição especial para comemorar o Dia Nacional da Bossa Nova, celebrado no próximo dia 25. O projeto “Arte na Capa” está com uma exposição alusiva intitulada “O Fino da Bossa’. A mostra, que reúne dezenas de capas de discos de vinil sobre o tema poderá ser visitada até o próximo dia 29, no período de segunda a sexta-feira, no período de meio dia às 18 horas. A entrada é gratuita. É obrigatório o uso de máscara e o distanciamento entre os visitantes.

O MIS fica na Rua Luiz da Rocha Miranda, 117, no Centro Histórico da cidade.

O projeto “Arte na Capa”, organizado mensalmente pelo Museu da Imagem e do Som, tem como objetivo principal apresentar ao público uma parte do vasto acervo da instituição, que além de discos, possui uma grande quantidade de equipamentos que contam a história da imagem e do som no Brasil. As exposições temáticas podem celebrar gêneros musicais, artistas ou datas comemorativas.

A exposição reúne artistas da Bossa Nova, entre eles, João Gilberto, Nara Leão, Tom Jobim, Maria Creuza e Maísa-Divulgação PMR

Para iniciar o ano de 2021, a direção do Museu da Imagem e do Som escolheu a Bossa Nova como tema de sua primeira exposição. Celebrado em 25 de janeiro, o Dia Nacional da Bossa Nova foi instituído pelo Congresso Nacional em 2009, e a data escolhida para fixar a homenagem é a do aniversário de nascimento do compositor e maestro Antônio Carlos Jobim. Entre os discos escolhidos para a exposição estão os de artistas facilmente identificados com o gênero, como João Gilberto, Nara Leão, Tom Jobim, Maria Creuza e Maísa, entre outros.

O presidente da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, Thiago Zaidan falou da importância da Bossa Nova. “A bossa nova tem uma importância enorme na história do país e para a Música Popular Brasileira (MPB). A homenagem do MIS é um convite à população para mergulhar nesse universo, conhecendo elementos que marcaram época e vivem na memória. Não só as pessoas que viveram essa época, é fundamental também que as novas gerações conheçam a bossa nova”, disse Zaidan, informando que os visitantes também têm a oportunidade de ouvir os vinis e conhecer as obras. “É uma ótima oportunidade de entretenimento para a população”, comentou.

error: Conteúdo protegido !