Mulheres são presas suspeitas de estelionato contra idosos em Porto Real

0

PORTO REAL

Agentes da 100º Delegacia de Polícia (DP) coordenados pelo delegado titular, Marcelo Nunes Ribeiro, prenderam na tarde de segunda-feira, dia 16, duas mulheres, S.de 38 anos e V. de 39 anos. Elas foram presas suspeitas de dar golpes em cinco pessoas, com idades entre 30 e 65 anos, em procedimentos para concessão de benefícios junto ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e até contratação de empréstimos fraudulentos. De acordo com a Polícia Civil, as mulheres teriam dado um golpe de R$70mil. A dupla foi presa em suas residências no bairro Jardim das Acácias.

Segundo o delegado Marcelo Nunes Ribeiro, foram expedidos pelo Juízo da Vara Única de Porto Real/Quatis, três mandados de prisão preventiva para cada uma das detidas, pela prática do crime de Estelionato. Ribeiro explicou que os policiais chegaram até as mulheres após investigações que foram iniciadas em janeiro, quando começaram a ser registradas as denúncias. “No início do ano, chamou a nossa atenção registros feitos em sequência nos quais as mulheres, S. e V, figuravam como autoras. Desse modo, foram iniciadas investigações, onde apuramos que o delito consistia em S, se aproveitando de relações de parentesco e/ou amizade, ofereceria supostas vantagens para as vítimas para aquisição de pensões junto ao INSS e linhas de crédito para aquisição de imóveis, sempre figurando como intermediária. Ela afirmava que havia a necessidade de que as vítimas entregassem valores a título de entrada e/ou garantia para a obtenção do direito. Valores esses que ela dizia que supostamente seriam repassados para funcionários de instituições financeiras, o que ao longo das investigações se provou inverídico”, explicou o delegado, acrescentando que a suspeita V. auxiliava S., que através de telefone dizia para as vítimas ser advogada. “Uma recolhia os documentos e o dinheiro das vítimas prometendo que ia fazer a parte administrativa para agilizar o processo administrativo junto ao INSS. Enquanto que a outra, se passava por advogada que estaria acompanhando os processos administrativos. Assim, as mulheres se apropriavam das quantias solicitadas as vítimas, sempre dando desculpas para evitar serem descobertas. Somente quando algumas das vítimas entraram em contato umas com as outras, é que perceberam que foram vítimas de um golpe”, completou.

Marcelo ainda cotou que dentre as vítimas da dupla, estão sogra, amigos de igreja e até um casal, cujo filho é portador de necessidades especiais. Somados, os prejuízos das vítimas passam da casa dos R$70 mil. “Têm casos que as vítimas ficaram quase dois anos dando dinheiro para as mulheres que nunca resolviam os processos de aposentadorias. Só ficavam enrolando as vítimas e nunca entraram com nenhum processo junto ao INSS. As mulheres contavam histórias para enrolar as vítimas e sempre pegavam dinheiro e não resolviam nada”, informou o delegado que ainda chegou a convocar as mulheres para prestar esclarecimentos sobre as denúncias. “Elas compareceram com os advogados e disseram que iam prestar depoimentos em juízo. A partir daí conseguimos os mandados de prisão preventivas contra as mulheres que foram detidas em suas residências no bairro Jardim das Acácias. Tais prisões foram importantes para dar a população a sensação de justiça que as motivou a procurar a Delegacia”, explicou.

As mulheres foram apresentadas na Cadeia Pública de Volta Redonda nesta terça-feira, dia 17, onde vão participar de uma audiência de custódia.

De acordo com o delegado, as mulheres vão responder por crime de estelionatário e podem pegar até oito anos de prisão.