Mulher expõe agressão em redes sociais em Barra Mansa

0

Aline Oliveira, 41 anos, usou ontem as redes sociais para relatar uma agressão que teria sofrido no final de semana, onde o autor, segundo ela, seria seu companheiro. Ela mora no bairro Cajueiro, em Barra Mansa, e relata que teve um desentendimento com o homem no domingo, dia 31, após a final da Taça Rio (entre Flamengo e Vasco). Ela acabou sem os seus documentos.

Ela registrou o caso na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), de Volta Redonda, como agressão e furto. Na unidade ela explicou sobre a briga que tiveram após o jogo e que cada um seguiu para um lado. Porém, quando ela retornou para casa, o portão estava aberto e ela deu falta de sua carteira com os documentos e seu pagamento. Ao A VOZ DA CIDADE, Aline contou que procurou o companheiro e acabou o encontrando em um bar e que o mesmo estaria bebendo com alguns amigos. Ao se aproximar, ele teria dado início às agressões, provocando vários hematomas pelo corpo da mulher, principalmente em seu rosto. “Tenho um filho com ele de dois anos e não foi a primeira vez que me agrediu, mas nunca tinha acontecido com essa intensidade”, contou.

A vítima deu entrada na Santa Casa de Misericórdia, em Barra Mansa, e depois procurou a Deam-VR na cidade vizinha. Três dias depois ela fez um desabafo nas redes sociais, onde pediu ajuda para encontrar seus documentos e relatou ainda que na carteira, também havia documentação de seu filho.

O homem chegou a ser encaminhado para a Deam, onde disse que recentemente sofreu uma tentativa de homicídio no bairro Mangueira e que teria sido a mando da companheira. “Para fugir do flagrante me acusou de tentativa de homicídio contra ele usando um fato que ocorreu perto da casa dele quando tiros foram dados. Porém, não foi nada com ele, foi em outra casa e, claro, eu não tive nada a ver com isso”, contou.

O homem foi ouvido e liberado. Já ela, realizará exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), de Três Poços. Até o fechamento desta edição a Deam não havia se manifestado sobre o ocorrido e nem sobre as providências para apurar o caso.