Eslovena disse que era mantida em cárcere privado pelo filho em Volta Redonda

1

Policiais militares do 5º CPA, da 1ª Cia. do 28º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foram acionados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) para atender uma ocorrência de maus tratos e cárcere privado que estaria ocorrendo na Rua João Rodrigues da Silva, Bloco 205, no bairro Santa Cruz. Chegando ao local indicado pelo Ciosp, os agentes se deparam com uma mulher, que mais tarde foi identificada como Martina Zajc estava sendo mantida trancada em casa sem alimentação, pelo filho, Hvala Erik, que são eslovenos. Os policias relataram que num primeiro momento apenas ouviam os gritos da mulher.
Como ela não fala português, os agentes solicitaram apoio do capitão Alcimar Videira, comandante da 2ª Cia. do 28º Batalhão de Polícia Militar (BPM), e do 2º Sgtº J. Silva e do 3º Sgt Arruda que falam inglês fluentemente, para auxiliar na ocorrência e entender os fatos.
Após conseguir interagir com a vítima, Martina contou aos agentes que estava trancada em casa sem roupa e queria sair, estava com fome e que seu filho Hvala Erik tentou a enforcar.
Diante dos fatos narrados, o capitão Videira, com o auxílio de uma ferramenta, conhecida como pé de cabra, consegui abrir a porta, que assim como as janelas, eram fechadas com barras de ferro e parafusos, para libertar a vítima que estava nua. Uma vizinha teve que emprestar um vestido para que a mulher pudesse ser retirada do cárcere.

Portas e janelas estavam fechadas com parafusos – Foto: Divulgação

Ao entrar no recinto, o oficial pode constatar as condições desumanas de sobrevivência que a mulher estava sendo mantida e ainda, confirmou os maus tratos, já que ela apresentava várias escoriações pelo corpo.
Com a mulher já libertada do cárcere, os envolvidos foram encaminhados para 93ª Delegacia de Polícia, onde o fato está sendo registrado pela autoridade policial.

1 comentário

  1. Como se não bastasse as atrocidades que temos no Brasil, feitas pelos próprios Brasileiros, ainda vem gente de outro País, fazer atrocidades com a própria mãe.
    Tomara que esse safado caia na prisão, e lá, os presos, dão um ótimo corretivo nele.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !