MPRJ cumpre mandados de busca e apreensão contra PMs denunciados por recebimento de propina

0

VOLTA REDONDA

Vários mandados de busca e apreensão foram cumpridos ontem no município e em Barra Mansa, contra nove policiais militares denunciados à Justiça por associação criminosa e corrupção passiva. A ação foi realizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), em parceria com a Corregedoria da Polícia Militar, por meio do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ) e auxílio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ).

Além da busca e apreensão, o MPRJ obteve junto à Auditoria de Justiça Militar o afastamento de oito militares denunciados, todos lotados no 28º Batalhão de Polícia Militar (BPM), dos seus respectivos cargos. O vereador Sidney da Silva Teixeira, o Dinho, está entre os denunciados. Ele já havia se licenciado da função de PM, ao se eleger vereador em Volta Redonda. Além dos crimes de associação criminosa e corrupção passiva, ele também foi denunciado por extorsão.

Procurado pelo A VOZ DA CIDADE, o vereador apresentou uma nota de esclarecimento assinada pelos advogados Antonio Carlos Guimarães OAB 54.304 e Fabrício Nemetala Guimaraes OAB 183.187.  “A Assessoria Jurídica do vereador de Volta Redonda Welderson Sidney da Silva Teixeira, informa que já está ciente dos fatos desde o dia 08 de outubro e vem adotando medidas para colaborar com o esclarecimento dos fatos, nada tendo a temer em razão da certeza de sua inocência. Ressalta ainda que o mesmo vem cumprindo seu dever patriótico e contribuindo com as investigações”. Acrescenta também que estão sendo adotadas medidas no sentido de apurar e responsabilizar o vazamento de informações sigilosas, por parte dos órgãos responsáveis, uma vez que trazem riscos a sua integridade física e moral, assim como de seus familiares.

ORIGEM NAS OPERAÇÕES

As denúncias tiveram origem nas operações ‘Camará’ e ‘Katitula’, ambas deflagradas pela Polícia Federal de Volta Redonda em parceria com o Gaeco/MPRJ para apurar a existência de associação criminosa voltada para o tráfico de drogas em bairros da Comarca de Volta Redonda sob o domínio das facções criminosas Comando Vermelho e Terceiro Comando. As investigações da PF foram encaminhadas à Auditoria Militar para processamento dos crimes militares.

No decorrer das investigações, foi apurado que os traficantes desempenhavam suas ações ilícitas diante da conivência de alguns policiais militares lotados no 28º BPM, que recebiam valores para não coibirem o comércio ilegal. Além disso, os mesmos policiais recebiam o pagamento de propina de traficantes ligados a facções criminosas, o que permitia a livre comercialização de drogas em Volta Redonda.

A PARTIR DE DIÁLOGOS DE VOZ E SMS

De acordo com o MP, foi a partir de diálogos de voz e SMS. interceptados nas operações da PF, que foi descoberto que um dos policiais investigados negociava os pagamentos ilegais com os traficantes de drogas da região.

Já o vereador, conforme as investigações, além de receber pagamento de propina para deixar de praticar atos de ofício, também obrigou traficantes da região, mediante ameaça com o emprego de arma, a lhe pagar vantagens indevidas.

Além deles, também foram denunciados outros dois PMs por recebimento de propina para não reprimir o comércio irregular de drogas e medicamentos sem registro no Mercado Popular de Barra Mansa.

Outros três receberam propina para não efetuarem a prisão de um traficante, que foi abordado pelos policiais portando armas de grosso calibre, entorpecentes e outros objetos relacionados a atividades ilícitas.

Já dois deles foram denunciados por fazerem parte de um grupo, denominado ‘C-20’, que se associou aos comerciantes de medicamentos não regulamentados para que os produtos pudessem ser vendidos, ilegalmente, no Mercado Popular de Barra Mansa, sem que houvesse repressão por parte dos policiais.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !