‘Movimento dos Atingidos pelo Pó da CSN’ será lançado nesta quinta em Volta Redonda

0

 Organizado nas redes sociais, o ‘Movimento dos Atingidos pelo Pó da CSN’ será lançado, nesta quinta-feira, 23, pela Comissão Ambiental Sul-RJ, na sede da Cúria Diocesana, no bairro Vila Santa Cecília. O início do encontro está marcado para às 18 horas com a participação da população em geral e de outras entidades populares, como da Igreja Católica e outras do município, responsáveis pela iniciativa.

O eixo central do movimento, de acordo com os organizadores, é unificar a indignação da toda população de Volta Redonda sobre a questão da poluição emitida pela Companhia Siderúrgica Nacional (CS). Ainda segundo os organizadores, as pessoas estão denunciando a emissão do pó preto, pó de ferro em suas casas, porém de forma isolada, muitas vezes utilizando as redes sociais. Por isso, o Movimento busca ser uma instância central para reunir e congregar toda essa indignação da população sobre o assunto.

Será o primeiro encontro da manifestação contra a poluição. É importante ressaltar que os manifestantes decidiram usar as redes sociais para formar o movimento não só para protestar, mas para cobrar ações da empresa e das autoridades em busca de solução para o caso da poluição, que há anos vem incomodando milhares de pessoas, e que nos últimos meses vem sendo tema de debates em locais diversos por moradores, ambientalistas, entidades diversas e autoridades.

De acordo com os manifestantes, no primeiro encontro serão apresentadas as ações que irão acontecer, locais e de que forma. A convocação está sendo feita há dias nas redes sociais. “Você é atingido de alguma forma pela poluição da CSN em nosso município? Se, sim, venha participar conosco do lançamento do Movimento dos Atingidos pelo Pó da CSN. Participe!”. Esse é um trecho de uma convocação dos manifestantes feitas em redes sociais, como no endereço tps://www.facebook.com/atingidospelopodacsn.

INICIATIVA

Para os organizadores, a iniciativa é um basta contra a poluição do ar de Volta Redonda e terá a participação de vários segmentos. E para o lançamento do Movimento foram convidados, entre outros, a procuradora da República Marcela Biagioli, que acompanha o caso há muito tempo, líderes comunitários, o bispo diocesano de Barra do Piraí e Volta Redonda, Dom Francisco Biasin, além de pesquisadores da Fiocruz.

Vale lembrar que, recentemente, a Justiça Federal determinou que a CSN e a  empresa Harsco Metals, responsável pelo armazenamento de escória no bairro Brasilândia, reduzam a altura da pilha de escória, que hoje ultrapassa os 30 metros de altura. O material, que está amontoado às margens do Rio Paraíba do Sul, atinge os seis bairros localizados próximos à empresa Harsco.