Moradores que serão remanejados para o campo do Ferroviário questionam andamento da construção das casas

0

BARRA MANSA

Na última semana, a Prefeitura de Barra Mansa divulgou que para formalizar o início das obras remanescentes do Pátio de Manobras, o prefeito Rodrigo Drable recebeu em seu gabinete os representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Isso fez com que os moradores, que serão remanejados para o seguimento do projeto, questionassem o andamento da construção das 17 casas no campo ferroviário. A previsão de conclusão das moradias era para dezembro, sendo prorrogado para janeiro, e agora, segundo informado pela prefeitura, o novo prazo é no início maio. Os residentes temem ter que sair dos seus imóveis antes que as obras estejam 100% finalizadas.

O representante dos residentes que serão remanejados, Marcelo Andrade, falou ao A VOZ DA CIDADE que não há como as obras do pátio ter prosseguimento até que as casas sejam entregues. “Não faz sentido esse projeto ter ficado parado por tanto tempo se o problema era a remoção dos moradores”, disse, completando que além do receio de não ter as moradias entregadas dentro do prazo, os residentes não estão podendo acompanhar as obras de perto. “Em reunião, ficou acordado que as pessoas remanejadas poderiam entrar para acompanhar a construção de suas casas, mas isso não está sendo cumprido”, denunciou.

Marcelo Andrade ainda citou que a informação que chegou até ele, é que os funcionários da empreiteira contratada ficaram com o pagamento atrasado, causando a procrastinação da construção das casas. Contudo, segundo informou o Dnit, órgão responsável pelas obras, ocorreu foi um atraso na liberação do terreno para construção das unidades, em virtude de divergência com um dos ocupantes. Já sobre a autorização para os residentes acompanharem as obras, o órgão informou que não existe nenhum pedido oficial de beneficiados para vistoriar as construções. “Se existe esse interesse, é só entrar em contato com fiscal das obras”, respondeu a nota.

O representante dos residentes aponta ainda que, durante as reuniões com o Dnit, foi especificado que as construções levariam de oito a um ano para serem concluídas. “De certa forma, o prazo que eles combinaram com a gente, ainda está dentro do tempo combinado. Mas completará um ano em abril e pelo o que observamos, as obras estão de vagar e muito longe de ficarem prontas”, disse, detalhando que em algumas casas ainda não foi feito o segundo andar, que falta o embolso, acabamento, a parte da infraestrutura (rua/calçada) e iluminação. “O combinado é sairmos quando tudo estiver pronto. Como isso será entregue dentro do prazo, se ainda falta tanto o que ser feito”, ratificou.

Questionado sobre o que falta ser feito para a finalização das unidades habitacionais, o Dnit não respondeu.

Entenda a realocação dos moradores

No bairro Barbará, começou a ser construído um dos viadutos do Pátio de Manobras, mas não foi concluído por conta da necessidade de desapropriação dos imóveis, para em seguida realocar a linha ferra da VLI.  Para isso, 43 famílias precisam ser realocadas, sendo que 17 irão para as unidades do campo ferroviário, que fica localizado entre a Rua Eduardo Junqueira e a Avenida Dário Aragão (Estamparia), no Centro. Outras cinco famílias irão para o bairro Roberto Silveira (Várzea do Quartel), e as demais serão indenizadas. A indenização, segundo Marcelo, só será paga quando todas as unidades estiverem prontas.

Ainda de acordo com o Marcelo, no Termo de Acordo (Tac), ficou negociado que tanto as unidades, quanto a infraestrutura urbana, devem estar prontas para que os moradores se mudem. “É o que ficou acordado”, afirmou.

O documento ainda especifica, segundo o representante, que caberá ao município de Barra Mansa garantir para os novos conjuntos habitacionais a operacionalidade da infraestrutura urbana e dos serviços públicos essenciais, como, por exemplo, a ligação das redes de água e esgoto, ligação da rede pública de energia elétrica, a ligação das vias públicas de acesso e massa asfáltica. Contudo, questionado pelo jornal, a prefeitura informou que a parte de infraestrutura será de responsabilidade também do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.

Andamento do Pátio de Manobras

As obras do Pátio de Manobras contam com o apoio da Prefeitura de Barra Mansa, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Instituto Estadual do Ambiente (Inea), VLI e MRS. Segundo divulgado pela prefeitura, o início das obras remanescentes do projeto, estava previsto para essa segunda-feira, dia 27. “O novo Pátio de Manobras, localizado no bairro Vista Alegre, será o primeiro local a receber as obras, que contemplarão a adequação e ampliação do espaço, com a conclusão da construção do galpão administrativo”, informou.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !