Moradores e comerciantes do bairro Siderlândia contabilizam prejuízos após alagamento

0

BARRA MANSA

O A VOZ DA CIDADE retornou na Rua Gabriel Gonçalves de Brito, a Rua B, no bairro Siderlândia, em Barra Mansa, durante a manhã de hoje, dia 13, para conversar com os moradores e comerciantes que foram prejudicados com o alagamento de ontem. De acordo com eles, a água invadiu e prejudicou mais de 20 casas, e alcançou aproximadamente três metros.

A situação se deu devido ao entupimento de uma das manilhas que está localizada abaixo de uma loja, que desabou ainda no final do ano passado. Os entulhos do imóvel tamparam a tubulação, que é responsável pelo transporte de esgoto sanitário, fazendo com que a água transborde. o A VOZ DA CIDADE acompanha o caso desde o início.

Problema se originou numa manilha que entupiu – Foto: Fábio Guimas

Prefeitura esteve no local – Fábio Guimas

 

 

 

 

 

A rua possui três estabelecimentos comerciais. A mercearia de Waldeir Teixeira Ramos, de 35 anos, foi a mais atingida pela água, pois está localizada em uma área mais baixa da via. Segundo ele, desde que aconteceu o entupimento da manilha, quando chove a água desce pela rua, porém, essa foi a primeira vez que chegou a esse nível. “Tem que desobstruir a passagem da água. Eu já deixei tudo para o alto, porque já estávamos esperando que isso um dia fosse acontecer. Estamos sofrendo. Sempre que chove desce água pela rua, todo mundo vem e não faz nada”, comentou, informando que irá colocar lajotas na porta do estabelecimento para impedir que a água entre.

Assim como Waldeir, os moradores também estão tomando providências para evitar maiores danos. Mayara Valva tem 31 anos e mora no bairro desde pequena. De acordo com ela, o pai está colocando tábuas na porta de casa e do portão para impedir que a água da chuva entre na residência. “Não temos sossego. Estamos tentando de todas as formas contato com a Prefeitura de Barra Mansa e vereadores. É um problema que não temos como resolver, alguns moradores estão aumentando o muro, mas isso precisa ser solucionado”, disse.

Alguns moradores estão colocando tábuas nas portas das residências – Foto: Fábio Guimas

Os moradores comentaram ainda que o Rio Bocaina, que passa pelo Siderlândia, não chegou a encher e por isso os danos não foram piores. O A VOZ DA CIDADE conversou com vários moradores que relataram estar preocupados com uma próxima chuva.

AJUDA ESTADUAL E FEDERAL

Em nota, a prefeitura informou que hoje equipes do Saae estiveram trabalhando desde a manhã no bairro Siderlândia. A prefeitura destacou que o problema foi agravado pelo entupimento da tubulação, pois a rede estava abaixo de construções irregulares o que impediam a manutenção e reparos da galeria. O diretor executivo do Saae, Fanuel Fernando, disse que as construções irregulares impedem o serviço de manutenção.

“Além disso, há ainda o desgaste provocado pela ação do tempo na tubulação de aço que capta as águas pluviais. O entupimento da rede foi causado pelo entulho do desmoronamento de uma construção irregular. Estamos trabalhando para encontrar o ponto exato do problema. Paralelamente, vamos elaborar um projeto alternativo e buscar recursos junto aos governos Federal e Estadual para sua execução e assim resolver a situação em definitivo”, detalhou Fanuel.

Integrantes da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos também estiveram no local. O secretário da Pasta, J. Chagas, ressaltou que foram realizadas visitas às famílias atingidas pelas chuvas. “Vamos acolher essas pessoas e fazer os atendimentos que estiverem ao nosso alcance”, explicou.

error: Conteúdo protegido !