Moradores do parque Maíra protestaram em frente à prefeitura

0

PINHEIRAL

Cerca de 50 moradores protestaram ontem, 25, em frente à prefeitura, pela regularização das casas do bairro Parque Maíra. Segundo os relatos, as residências estão sem luz e os manifestantes aguardavam a chegada do prefeito, Ednardo Barbosa, para reivindicarem uma solução para o problema. No local existem cerca de 100 casas que foram construídas em 2008, com orçamento em torno de R$ 5,3 milhões e tinham previsão de entrega de três anos, porém o procedimento foi paralisado. Com o abandono das obras, centenas de famílias fizeram ocupação em 2014. E sem a regularização dos imóveis, segundo os moradores, são desafios constantes para conseguir energia elétrica.

Além da falta de luz, os residentes sofrem também com a falta de água e de infraestrutura. Segundo informações da comunidade, há anos é reivindicado que o governo regularize as casas. Em setembro de 2017, o prefeito havia informado que estava buscando soluções junto ao Governo do Estado para regularizar a situação. Na ocasião Ednardo e representantes da Light teriam também se encontrado para tentar resolver legalmente o problema da energia. Um ano depois, o problema ainda persiste e levou os moradores a pressionarem por uma solução.

De acordo como aposentado Djaci Marques, de 60 anos, ele mora na comunidade com a esposa e um neto, e necessitam da luz. “Nós queremos ter o direito de pagar pela nossa luz, estamos lutando por isso e queremos que essa situação seja resolvida”, explicou.

Segundo os relados, no local residem enfermos, crianças, gestantes e idosos. Doralice Lemo, de 56 anos, conta que tem um filho com retardo mental e autismo. “Chega de noite meu filho quer luz, televisão, água gelada e eu não posso fazer nada”, lamenta, explicando que, essa não é a primeira vez que luz das casas é cortada de forma repentina. “Estamos passando uma grande dificuldade energia elétrica”, afirma.

A outra moradora da comunidade, Viviane Santos, de 28 anos, disse que todos precisam da energia para viver bem e que a comunidade quer pagar pela luz e não pode. “Cortaram nossa luz e estamos aqui para falar com o prefeito. Nós não queremos ficar usando a energia de forma irregular, queremos pagar pela nossa luz, mas eles não regularizam e a gente precisa disso”, desabafou.

O A VOZ DA CIDADE, entrou em contato com a Assessoria de Imprensa de Pinheiral, que informou através deu nota oficial que com relação à iluminação, a demanda não poderá ser atendida senão, após definida a questão alusiva à regularização da ocupação das casas.  Para tentar agilizar o processo, a Procuradoria Jurídica do Município, mantém contato com a Defensoria Pública, que inclusive, no dia de ontem, 25, foi entregue documentação, visando analisar uma ação coletiva contra a Light para o religamento da luz.

Ainda de acordo com a nota oficial “conforme consta em ata da última reunião (12 de setembro deste ano), no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, inclusive com a presença da presidente da Associação de Moradores do Parque Maíra, Indiara Ferreira, foi informado que o Estado retomará as obras de infraestrutura do local, apresentando cronograma, com planejamento de encerrar a licitação até o fim do ano e, em seguida projeta-se a conclusão das obras até meados de setembro”.

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !