Moradores do bairro Sessenta, em Volta Redonda, estão preocupados com o desabamento das margens do Rio Brandão

0

A chuva forte, de quase duas horas contínua, que atingiu Volta Redonda no último sábado, 18, e durante a madrugada afetou muito o bairro Sessenta. Segundo os moradores, o temporal voltou a atingir às margens do Rio Brandão. Em vários pontos, parte das ruas estão cedendo com o desabamento das margens e assim levando preocupação e perigo aos moradores e motoristas, como na Rua 314.

Destacaram ainda que os problemas começaram no temporal do mês passado, que causou muitos estragos nas ruas Lions Club e 41 C.

Preocupados com a situação, os moradores do bairro já lançaram um SOS. De acordo com os reclamantes, o grande incidente desta vez ocorreu na Rua 314, que cedeu pela metade depois que às margens do Rio Brandão desabou durante a chuva. Um dos moradores, o radialista Paulo César Alves mostrou tudo em vídeo.

O morador disse que a chuva castigou bastante o bairro e que o Rio Brandão, por pouco não transbordou. “A prefeitura desde a última chuva, há mais ou menos quinze dias atrás não fez o dever de casa, ou seja, nada fez para sanar ou evitar outros desabamentos às margens do rio, o que vem causando estragos nas ruas que estão cedendo a cada dia”, destacou o morador.

PASSARELA CORRE RISCO

Paulo César ressaltou ainda que desta vez, até a passarela existente na Rua 314 foi afetada, podendo cair a qualquer momento. “Além das encostas do Rio, árvores também correm o risco de caírem, como uma na Rua 314. Nós moradores tememos tragédias em breve caso o Poder Público não tome providências. Até agora estamos só correndo perigo”, contou o morador, lembrando que, além disso, a tubulação de esgoto sempre é rompida no local. Disse que é outro problema antigo, já que a tubulação que passa pelo Rio Brandão traz o esgoto dos bairros Siderópolis, Casa de Pedra, Tiradentes e outros desaguando na Estação de Tratamento Gil Portugal, no bairro Vila Santa Cecília.

Segundo informou a Secretaria Municipal de Infraestrutura de Volta Redonda (SMI) ao A VOZ DA CIDADE, o deslizamento nas margens do Rio, próximo à Rua 314, aconteceu em decorrência às chuvas do início de abril. A SMI está montando um projeto para solucionar o problema.

Segundo dados da Defesa Civil de Volta Redonda, a chuva que atingiu a cidade chegou a 105 mm no acumulado e que fez 12 ocorrências até ontem, sendo três interdições e três famílias ficaram desalojadas, cerca de dez pessoas. Não houve nenhuma vítima. “Nós já atendemos todas as ocorrências desse final de semana, todas as intervenções da Defesa Civil foram feitas. As casas que foram interditadas nós encaminhamos para Samc, para ser feito o levantamento social das famílias”, informou o coordenador da Defesa Civil, Leandro Rezende, destacando que o órgão permanece de plantão por 24 horas e pode ser acionado pela população pelo telefone 199 em caso de qualquer emergência.

ESTRUTURA ATUANDO

Segundo o secretário de Infraestrutura de Volta Redonda, Toninho Oreste, toda a estrutura da Prefeitura está atuando desde a noite de sábado. Ontem, mais de 400 funcionários da SMI atuaram na limpeza da cidade. De acordo com o secretário, os principais pontos de atuação são a Avenida Antônio de Almeida, no Retiro, na 208, na Rua 4, no Conforto, na Avenida Belmonte, a Rua de aceso à Fundação Beatriz Gama e no bairro Açude. Nesses pontos as equipes fizeram a raspagem do barro e lavaram as ruas com Caminhão Pipa.

O secretário garantiu ainda que a previsão é que em até dez dias tudo seja normalizado. ”Nós direcionamos as equipes para os locais mais críticos, além de manter os serviços de rotina da cidade, como capinas e roçadas”, explicou, ressaltando que a cidade inscreveu, através de projetos na Defesa Civil Nacional, R$ 20 milhões para obras de contenção de encostas e escoamento de água de chuva, mas que o Governo Federal ainda não liberou os recursos. 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !