Ministério Público emite parecer contrário a abertura imediata do comércio em Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

Em consulta feita pela prefeitura de Volta Redonda, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro emitiu uma recomendação contrária a reabertura das atividades econômicas na cidade de forma imediata, seguindo assim a decisão judicial em vigor até o próximo sábado, dia 11. O pedido da prefeitura foi feito após a cidade viabilizar a abertura de mais dez leitos de UTI/CTI. Com isso, as atividades econômicas retornam no município a partir de domingo, dia 12.

As atividades econômicas, com exceção às essenciais, foram fechadas diante de uma das metas condicionantes para a reabertura ter sido extrapolada. É que o município passou de 50% de ocupação dos leitos de UTI/CTI destinadas para tratamento da Covid-19.

Nesta quarta-feira, dia 8, o município conseguiu autorização para voltar a regular pacientes para o Hospital Regional Zilda Arns. Oito pacientes – sendo quatro de UTI e quatro de média complexidade – serão transferidos para a unidade. Com isso, Volta Redonda fica com ocupação de leitos de UTI na rede pública de cerca de 40%.

“Apesar da recomendação contrária a reabertura imediata, a volta da regulação de pacientes e o aumento da capacidade de atendimento a população nos dá a previsão de reabertura para o domingo. E, principalmente, a garantia que nossa população terá atendimento, caso seja necessário”, destacou o prefeito Samuca.

Na cidade, há uma decisão judicial que impede a reabertura das atividades, onde o autor é o Ministério Público. O retorno do comércio só foi possível através de um acordo judicial, que previa seis eixos de monitoramento: a ocupação dos leitos de UTI não ultrapassar 50%; a ocupação dos leitos do Hospital de Campanha não passar de 60%; o número de casos suspeitos não aumentar mais de 5% por três dias seguidos; o uso obrigatório de máscaras; proibido qualquer aglomeração; e grupo de risco permanecer em isolamento.

O prefeito Samuca Silva explicou que o município aumentou a capacidade de atendimento a população e que o comércio e demais atividades ficaram abertos por 50 dias.

“Aumentamos de 19 para 27 leitos de UTI para atendimento de Covid-19. Isso nos permitiu garantir o comércio aberto por mais de 50 dias. Vemos cidades do tamanho de Volta Redonda que ainda não retornaram as suas atividades. Algumas outras estão fechando novamente. Agora, estamos ampliando o número de leitos para que possamos retomar as atividades no próximo domingo”, disse Samuca.

Samuca destacou que a cidade está conseguindo controlar o vírus, tendo em vista que Volta Redonda já foi um dos municípios com maior número de casos para cada 100 mil habitantes.

“Tomamos diversas medidas de proteção e, com a ajuda da população, conseguimos superar e controlar o vírus. Agora vamos iniciar um tratamento para casos leves, que vai nos ajudar a evitar mais ocupações de leitos. Podem me cobrar tudo, menos omissão em salvar vidas. É isso que buscamos. Com controle, vamos retomar as atividades econômicas”, disse.

error: Conteúdo protegido !