Militares e Civis realizam ações implementadas pela Intervenção Federal

0

ANGRA DOS REIS

Os moradores de Angra dos Reis presenciaram hoje na Costa Verde uma cena há muitos meses esperada pela maioria dos residentes de bem do Litoral. A cidade foi tomada pela presença do Comando Conjunto, em apoio à Secretaria de Estado de Segurança, que deflagrou, juntamente com a Polícia Civil da 166ª Delegacia de Polícia, uma operação no Frade. Os trabalhos começaram por volta das 5 horas, tendo várias prisões e apreensões de entorpecentes. O delegado titular da 166ª Delegacia de Polícia, Bruno Gilaberte, explicou ao A VOZ DA CIDADE que as operações foram deflagradas no contexto das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública. Pelas redes sociais, os moradores comemoraram a presença das autoridades.

A operação aconteceu de forma simultânea na Vila Vintém, Zona Oeste do Rio de Janeiro. As ações envolveram cerco, estabilização dinâmica da área e desobstrução de vias. Foram cumpridos mandados de prisão por parte da Polícia Civil.

Para as duas operações, foram empregados 1.382 militares das Forças Armadas, 270 policiais militares, 50 policiais civis e 19 agentes da Polícia Rodoviária Federal com apoio de meios blindados, aeronaves e equipamentos pesados de engenharia. Não houve interferência nas operações dos aeroportos.

Estas operações foram deflagradas no contexto das medidas implementadas pela Intervenção Federal na Segurança Pública.

BALANÇO

“Num momento em que as policiais estão sucateadas por conta da crise, é importantíssimo esse apoio, inclusive da Polícia Federal, Militar. De todos os envolvidos. Por isso tivemos resultados exitosos. Não podemos ficar reclamando da falta de verba. Temos que arrumar modos de superar esse déficit operacional. Isso se faz por meio de ações em conjunto”, disse o delegado.

Até a publicação desta nota, foram contabilizados: duas prisões de dois suspeitos de tráfico, presos com 140 pinos de cocaína; 60 quilos aproximadamente de maconha, cerca de 30 mil pinos vazios para embalar cocaína e um cumprimento de mandado de prisão, onde o homem é acusado de homicídio.

Ainda segundo o delegado, não houve registro de tiroteio, de confronto e feridos.

COMEMORAÇÃO

Moradores da cidade comemoraram hoje nas redes sociais a presença do Exército em Angra. Em vários grupos, inclusive, algumas pessoas criticaram a divulgação antecipada da informação sobre a operação. “Vocês deveriam pensar que traficantes também têm rede social. Assim como você avisa para o morador, acaba avisando para os ‘vagabundos’, que acabam ganhando tempo para fugir”, comentou Jéssica Lopes em uma rede social.

Apesar dos alertas, ao contrário de alguns moradores do Rio de Janeiro, a população não viu problema nenhum nas abordagens. “Eles estão aqui para o nosso bem e que é do meio, sabe muito bem identificar o marginal. Como pai, marido, trabalhador, eu quero segurança para toda a minha família e se eu cobro, prefiro passar pelo contratempo em ser abordado do que pelo contratempo de enterrar um filho meu ou ser vítima de bala perdida e não acompanhar o crescimento dos meus filhos”, disse Roger Oliveira, de 40 anos, morador do Frade. “Eu moro aqui há 10 anos e me mudei com toda a minha família para trabalhar. Mas se fosse necessário, voltaria para Volta Redonda para protegê-los”, completou o eletricista.

PEDIDO DE SOCORRO

O ano de 2018 começou de forma tensa em Angra dos Reis. Foram diversas trocas de tiros, mortos, presos e várias apreensões e tudo, segundo informações da polícia e da própria população, pela disputa do comércio ilícito, protagonizadas pelo Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando Puro (TCP). Até mesmo o prefeito de Angra, Fernando Jordão (MDB), teve que apelar e pedir, ou em suas próprias palavras, exigir, intervenção do Exército na cidade. Jordão esteve em Brasília em uma conversa com o Presidente da República, Michel Temer, no mesmo partido, que, também pela crise de violência em todo o estado, assinou no dia 18 de fevereiro do decreto de intervenção federal na segurança pública em todo o Estado do Rio de Janeiro.

LIBERAÇÃO DE R$ 1 BILHÃO

Hoje, o governador Luiz Fernando Pezão (MDB) afirmou que a liberação de R$ 1 bilhão pelo governo federal para a Segurança no Estado do Rio, anunciada também hoje pelo presidente Michel Temer, será suficiente para garantir os investimentos necessários ao setor. Ele explicou que os débitos do Estado com servidores e fornecedores serão quitados, em breve, com iniciativas de responsabilidade da administração estadual e já previstos no Regime de Recuperação Fiscal (RRF).

“Esses recursos são suficientes, são substanciais e mostram o quanto é importante para nós essa intervenção, essa parceria, essa cooperação do Governo Federal com o Estado. A nossa Lei Orçamentária aprovada, com contingenciamento, para toda a área de Segurança, previa em torno de R$ 800 milhões de investimentos. Nós vamos ter à disposição do Estado R$ 1 bilhão, um recurso significativo e muito importante”, frisou o governador.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !