“Meu desejo é continuar de onde meu pai foi parado”, diz Gerson Antunes pré-candidato a prefeito de Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

“Sou movido pelo sentimento de continuar a fazer Volta Redonda voltar a crescer. A pré-candidatura nasce de um sentimento muito antigo. Meu desejo é continuar de onde meu pai foi parado”. Essa frase é do pré-candidato a prefeito, Gerson Antunes, do PDT. Filho de Juarez Antunes, sindicalista, deputado constituinte e prefeito de Volta Redonda, tem 41 anos. Ele lembra, em entrevista ao A VOZ DA CIDADE, que iniciou sua militância política aos 12 anos, dois anos após a morte de seu pai em um acidente de automóvel, ate hoje, de acordo com ele, cercado ainda de controvérsias, 51 dias após a sua posse na prefeitura, quando viajava para Brasília para devolver as chaves de seu apartamento funcional.

Gerson Antunes lembrou que começou dentro do movimento de juventude e quando pode se filiar a um partido político ingressou no PDT. “Conheci Lindberg em um congresso onde ele se tornou presidente da UNE, em Niterói. Logo depois veio o impeachment do Collor. Construímos um movimento de juventude. Depois ele foi partidarizado ao PCdoB, mas quando pude me filiar, na maioridade, fui para o PDT, onde estou até hoje”, conta.

O pré-candidato lembrou sobre a vida de seu pai e o que ele significou para Volta Redonda e o Brasil. “Principalmente na motivação dos funcionários da CSN, um movimento feito pela juventude. Meu pai foi jogado para fora da CSN e vendo os defeitos que lá tinha, retorna como liderança dos operários e, foi através dessa liderança, que aconteceram todas as conquistas dos trabalhadores a nível nacional. Meu pai promoveu a primeira greve da CSN, onde acaba com o Exército invadindo a fábrica, e com isso conseguiu organizar o maior movimento político sindical no Brasil, fundando o PT”, citou. Depois disso foi eleito deputado constituinte, disputa eleição de prefeito de Volta Redonda, vence, e morre 51 depois de eleito em um acidente.

Questionado sobre o porquê gostaria de ser eleito, Gerson Antunes disse que é um cidadão consciente e deseja contribuir com suas ideias para sua cidade. “Não tem que ser um projeto pessoal. Hoje é isso que acontece na prefeitura, cada um que tem se lançado é por esse objetivo. Ninguém quer discutir projeto de cidade. O PDT sempre discutiu isso, um projeto de nação. Nós temos projeto de educação”, disse o pré-candidato.

GERSON NA POLÍTICA

Acostumado a articular campanhas políticas na cidade e em outros estados, a trabalhar para deputados do partido, Gerson Antunes, também é primeiro suplente do PDT em Volta Redonda na câmara, após participar das eleições de 2016.

Apesar de ser um sonho antigo disputar a prefeitura, Gerson disse que está em uma legenda e aguardou a oportunidade para ter o aval de sua pré-candidatura. E por ter sido nesse momento, enxerga como pontual.  Para ele, a cidade tem sérios problemas na empregabilidade e na poluição.

Para lutar por mais empregos, pretende, se eleito, trazer mais empresas para Volta Redonda. Sobre a poluição, diz que a cidade fica refém do Ibama e do Inea, que vistoriam condição do ar e da água. “A prefeitura não ajuda. Não é para brigar com a CSN, pois ela fomenta empregos, mas tem que orientar. Há uma deficiência técnica dos órgãos federal e estadual, mas a prefeitura poderia ajudar, participar desse monitoramento. Em Volta Redonda 25% dos cidadãos têm deficiências provocadas pela poluição, seja auditiva, visual ou motora, fora as deficiências pulmonares, que se fizer um levantamento na cidade terá uma associação imensa com a poluição”, citou.

Além dessas áreas, destaca que a educação é a marca do PDT e será uma área trabalhada no sentido de trazer muitas inovações. Além de trazer o modelo defendido pelo partido, de ensino integral, na cidade são três escolas com esse tipo de ensino, mas segundo Gerson, não funcionam como deveriam, pretende implementar o projeto de Darcy Ribeiro integralmente, até mesmo colocando médicos e dentistas nas escolas. “Se faz essa prevenção, teremos adultos saudáveis. O mais barato é investir na educação. A ignorância que fala o contrário. Essas três escolas de Volta Redondas não contam com uma grade curricular em tempo integral. Pretendemos criar a Fábrica de Escolas, fazer um estudo logístico para ver quantas escolas teremos que construir ou ampliar para colocar o verdadeiro ensino integral”, afirmou.

Além disso, como forma de fomentar a economia, turismo e a cultura, pretende criar um evento na Ilha São João chamado Glorifica Volta Redonda, a cada três meses. E a cada seis meses, o Glorifica Sul Fluminense, um evento ecumênico.

MÁQUINA INCHADA

Gerson Antunes avalia que a prefeitura tem sido usada como cabide de emprego. Ele contou que tem uma denúncia da existência de quase mil funcionários fantasmas. “Na prefeitura são hoje cerca de 12 mil cargos. Se eleito, pretendo reduzir pela metade e chamar o Ministério Público para investigar os funcionários fantasmas. Pretendo ainda diminuir o número de secretarias, que são 20. São três coordenadorias, 11 autarquias e 24 conselhos que são administrados pelos secretários. Apesar de ser vanguarda na política, o novo que sou nesse momento é o que não fará velhos acordos, não usará da velha política. A nova administração precisará ser de guerra porque as finanças da prefeitura não estão boas, mas com uma boa equipe, enxugando os gastos e dialogando com a CSN, faremos Volta Redonda crescer”, finaliza Gerson Antunes.

 

 

error: Conteúdo protegido !