Metalúrgicos aprovam proposta de acordo oferecida pela CSN

0

VOLTA REDONDA

Nesta quarta-feira, dia 15, por mais uma vez os metalúrgicos da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) foram às urnas para votação da proposta de oferecida pela direção da empresa para a celebração do acordo coletivo 2022/2023. Dessa vez participaram, em escrutínio secreto, 6.481 metalúrgicos, sendo que 4.077 (63%) votaram pela aprovação, outros 2.387 pela recusa da proposta. Treze trabalhadores votaram em branco e outros quatro anularam o voto. As urnas ficaram disponíveis aos trabalhadores de 6 às 16 horas, na Praça Juarez Antunes, no bairro Vila Santa Cecília, em Volta Redonda, e das 6 às 13 horas na portaria da CSN Porto Real.

Anteriormente, a proposta da CSN já havia sido aprovada pelos colaboradores de Casa de Pedra, representados pelo sindicato Metabase, Sindicato dos Técnicos e Sindicato dos Engenheiros. Também já aprovaram a proposta da empresa os colaboradores de Arcos, Prada Distribuição (Mogi das Cruzes, Bebedouro, Piracicaba e Contagem), Prada Santo Amaro, e CSN Paraná.

A última votação foi realizada em 27 de maio quando os metalúrgicos rejeitaram a proposta de acordo com 4.034 votos.

Pela proposta já acatada pelos metalúrgicos, quem recebe salários de até R$ 5 mil, independente da faixa salarial, técnicos e supervisores o reajuste será de 12%. Já para quem recebe além, o reajuste é de 10%; o auxílio creche de R$ 652; o cartão alimentação será reajustado em 25%, ou seja, R$ 500, além de um outro cartão-alimentação extra, com valor de R$ 900, sendo dividido em duas parcelas de R$ 450 cada, em que os trabalhadores receberão em cinco dias úteis após a assinatura do acordo e o restante em dezembro, além do abono de 76% do target, mais conhecido como Programa de Participação de Resultados (PPR).

A data base do acordo coletivo era no dia 1º de maio e que, em comum acordo entre o Sindicato dos Metalúrgicos e a direção da CSN, foi prorrogada para o 1º de junho.

Até a publicação dessa reportagem, o A VOZ DA CIDADE não tinha conseguido contato com atual presidente, Silvio Campos, que segundo informações estaria em repouso por ter contraído o vírus da Covid-19.

Já a assessoria da CSN informou, através de comunicado enviado à imprensa, que “esses colaboradores já garantiram os benefícios deste Acordo Coletivo, retroativos a maio de 2022”. Ainda, segundo informações do comunicado, “o acordo aprovado também renova os demais benefícios oferecidos pela empresa”.