Menino asmático de quatro anos vence a Covid em Volta Redonda

0

VOLTA REDONDA

O menino Murilo Conegundes, de quatro anos, que é asmático, depois de dar um grande susto em todos venceu o novo coronavírus (Covid-19). Único da família a contrair o vírus, o menino, que reside no bairro Vila Mury, terminou o isolamento no último domingo, dia 8, e passa bem. A mãe da criança, a auxiliar administrativa, Djenane Conegundes, de 31 anos, disse que quando descobriu que o filho estava infectado a preocupação foi inevitável por ele ter asma.

Segundo Djenane, tudo começou no dia 7 deste mês quando Murilo teve febre e dor no corpo. Com os sintomas, o menino foi levado ao médico que solicitou o exame feito no dia 9. “O Murilo fez swab, sangrou muito, deu hemorragia nasal. E logo no dia seguinte saiu o resultado e ele foi testado positivo para Covid. Os cuidados foram iniciados, mas no dia 14 ele voltou a ter febre. Foi quando o médico descobriu que ele estava com uma infiltração no pulmão. Entramos com antibiótico e para a Glória do Senhor no dia 17 meu filho ficou livre do vírus. no dia 18 terminou o isolamento e hoje graças a Deus ele está muito bem”, contou a auxiliar administrativa ao A VOZ DA CIDADE.

DIAS DE ANGÚSTIA

A mãe declarou ainda que foram dias de angústia e medo por se tratar de um vírus muito perigoso. “Vocês não imaginam o meu desespero na hora que peguei aquele resultado positivo. Meu mundo caiu. Chorei muito, mas depois eu fiquei bem. Eu cuidava dele, levamos no hospital outras vezes e eu fiquei bem, pois eu sabia quem cuidava de nós”, contou a mãe, ressaltando que não sabe como ele pegou o vírus, pois não sai para a rua e na família ninguém teve a doença. “Não temos idéia de como ele foi infectado, já que não sai de casa e nem na igreja vai. Como sempre, Deus foi muito bondoso com a gente e cuidou muito bem do meu filho e de todos nós”, informou a mãe, lembrando que não só os familiares, mas amigos ficaram preocupados e se uniram em correntes de orações pela sua recuperação.

Nos últimos dias, segundo especialistas, o reflexo do pico de casos entre os adultos está infectando muitas crianças. Por isso, é recomendado que crianças a partir de dois anos de idade devem usar máscaras de tecido, além dos cuidados com as mãos lavando-as com sabão e usando álcool em gel para se protegerem do vírus.