Mais um encontro de Comissão da Alerj debate geração de empregos na indústria naval

0

ESTADO/ANGRA DOS REIS

A Comissão de Indústria Naval, de OffShore e do Setor de Petróleo e Gás da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) se reuniu hoje, 18, virtualmente com executivos da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ/RJ). Dentre os questionamentos feitos foi pauta da discussão a como garantir investimentos para que empresas tenham interesse de se instalarem e produzirem empregos no setor naval no estado.

A presidência da comissão é ocupada pela deputada estadual Célia Jordão. Estão sendo frequentes os debates realizados com empresas, instituições públicas e especialistas da área para reunir informações e construir conjuntamente mecanismos que levem à ampliação da presença de empresas locais no mercado nacional.

Outro tema debatido no encontro de hoje foi a abertura de novas linhas de financiamento. A diretoria da ABIMAQ destacou a necessidade de ampliar a oferta de crédito para aumentar a margem do capital de giro, incentivando a volta das empresas que saíram do Rio de Janeiro para se instalar em outros estados. Entendendo a importância da reivindicação, a deputada Célia Jordão se comprometeu a agendar uma reunião com a Agência de Fomento do Estado do Rio de Janeiro (AgeRio) para tratar do assunto.

Infraestrutura, segurança, logística, redução de burocracias e tributação também estiveram em discussão. “O incentivo fiscal é um tema que ficou muito prejudicado ao longo do tempo porque se tornou sinônimo de renúncia de receita, ao invés de um benefício atrelado a um compromisso de desenvolvimento”, afirmou a deputada. A parlamentar defendeu que é necessário realizar um estudo mais aprofundado, em parceria com a Assessoria Fiscal da Alerj, sobre a questão tributária.

Para o vice-presidente da Rio Indústria e presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Rio de Janeiro, Marcius Ferrari, qualquer plano de incentivo fiscal precisa estar alinhado ao plano de negócios das empresas. E ter esse debate aberto pela Alerj é fundamental.

Bruno Galhardo, presidente da Câmara Setorial de Equipamentos Navais, OffShore e OnShore da ABIMAQ, falou também sobre a importância da parceria público-privada no setor naval. “Há empresários que querem investir em micrologística, e não só em macrologística como, por exemplo, melhorias em estradas e manutenção de vias de acesso às indústrias e portos”.

Alberto Machado, presidente da ABIMAQ/RJ, acrescentou que é necessário haver investimento em segurança e infraestrutura. ¨Não podemos esquecer os investimentos em empresas de engenharia, que podem vir também por meio de startups, para que sejam desenvolvidos componentes que gerem, futuramente, novos empregos no estado. O Rio de Janeiro tem potencial. As melhores universidades com quadros técnicos e conhecimento na área estão aqui. São soluções factíveis que resolvem boa parte dos problemas”, ressaltou.