Mais de 150 empresários da Panificação e Confeitaria debatem relevância econômica e as tendências do setor

0

RIO/VOLTA REDONDA

Com o objetivo de debater as transformações do mercado, aconteceu nesta semana o Encontro Estadual do Setor de Panificação e Confeitaria. Mais de 150 empresários do setor participaram do encontro que aconteceu Centro de Referência em Alimentos, Bebidas e Panificação Firjan Senai Tijuca e na Casa Firjan, na capital.

Durante o encontro foram realizadas palestras, sessões de debates e workshops e contou com a participação de 50 empresários da capital e cerca de 15 representantes das cidades de Volta Redonda, entre outros municípios.

Além disso, foi entregue uma homenagem a Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan. Durante homenagem, Eduardo Eugenio, presidente da Firjan, destacou um estudo que revela: as 5,2 mil padarias localizadas no estado do Rio empregam formalmente mais de 45 mil trabalhadores. “Faço saudação à Indústria da Panificação, que é a primeira abrir e a última a fechar e que tem inestimável importância social e econômica. Fizemos um levantamento que acabou de sair do forno, com base em dados do Ministério do Trabalho de 2022. A Panificação e Confeitaria é responsável por 45 mil empregos formais no estado do Rio de Janeiro. Se você multiplicar 45 por 5, que é a média de pessoas por família, são mais de 200 mil pessoas que dependem deste setor. São números que nos dão imenso orgulho”, celebrou o presidente da Firjan.

Os dados citados por Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira foram atualizados pela Gerência de Estudos Econômicos da Firjan, a partir de informações recentes do Ministério do Trabalho. Segundo o estudo, o setor de Panificação brasileiro contava com 79,8 mil estabelecimentos formais, distribuídos em 4.400 municípios brasileiros. Isso significa que 79% das cidades brasileiras possuem empresas formalizadas cuja atividade principal é a fabricação de produtos de panificação ou o comércio varejista de produtos de padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes. Em média, cada município brasileiro abriga 14 estabelecimentos do ramo de panificação.

Segundo o gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Jonathas Goulart, no estado do Rio, são 5,2 mil estabelecimentos formais do ramo, o que se reflete diretamente no registro do número de trabalhadores do setor. “A partir dos dados do estoque de trabalhadores de 2022 e da geração de emprego recente, estimamos que, em 2024, o segmento atingiu 545,2 mil trabalhadores formais no país, patamar histórico para o setor. Em 2023, esse número representava 479 mil trabalhadores. Na comparação com 2014, houve um crescimento de mais de 112 mil trabalhadores, equivalente a um aumento de 25,9% do contingente de trabalhadores”, cita, acrescentando que esse avanço é mais de duas vezes o observado no mercado de trabalho formal como um todo no mesmo período (+11,4%).

O Rio de Janeiro registra 45,3 mil empregados formais no setor em 2024, respondendo por 8,3% do mercado de trabalho nacional de panificação, atrás apenas de São Paulo (29,2%) e Minas Gerais (14,3%).

Oportunidades para crescimento e inovação

A inovação foi pauta do Encontro Estadual do Setor de Panificação e Confeitaria. É o que informou Luiz Césio Caetano, 1º vice-presidente da Firjan, em seu discurso de abertura do evento. “Este é um encontro de empresas e profissionais do mercado de panificação e confeitaria do estado do Rio de Janeiro onde são apresentadas atualidades, tendências e inovações para o setor, distribuídos em painéis que abordam desde técnicas de gestão a estratégias de marketing”, destacou Caetano.

Segundo o presidente do Grupo Alimenta Sul-Rio, Paulo Dinis, proprietário da Fábrica de Sabores Madrigal, em Volta Redonda, o encontro trouxe grandes oportunidades para discutir tendências e mudanças acarretadas no pós-pandemia. “Como exemplo, os canais de venda, e-commerce, delivery, que as padarias não tinham e passaram a adotar. Outro grande desafio do setor é contratar e manter a nossa mão de obra. Para isso, é preciso ter conhecimento de gestão para o crescimento da empresa”, destaca.

O Encontro Estadual contou com sessões de debates e cinco palestras: ‘Mercado atual e tendências do setor de Panificação e Confeitaria’, com o chef Luiz Farias, consultor da indústria IREKS; ‘Gestão Orientada para Resultados’, com Emerson Amaral, diretor do Instituto de Desenvolvimento das Empresas de Alimentação (Ideal); ‘Como impulsionar as vendas no delivery’, com Felipe Russo, especialista em vendas da Ifood; ‘Como dar show de atendimento, vender, ‘cantar’ e encantar seus clientes’, com Dill Casella; e ‘Padaria de sucesso – marketing e branding na panificação’, com Rita Gonçalves, diretora do Sindicato e Associação Panificação e Confeitaria de Minas Gerais (Amipão).

 

Deixe um Comentário