Lazer no Calçadão reúne milhares de pessoas na nova Beira Rio, em Barra Mansa

0

 

BARRA MANSA

Centenas de pessoas participaram hoje ao longo do dia, de 8 às 17 horas, do projeto Lazer no Calçadão, ocorrido na Avenida Presidente Getúlio Vargas (atrás da Câmara de Vereadores), na altura do Calçadão Dama do Samba Paula de Jesus Francisco, no Centro. O local será fechado todos os domingos e feriados para atividades esportivas, culturais e que movimentam a economia do município. O evento faz parte de uma iniciativa de várias secretarias como Juventude, Esporte e Lazer, Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Ordem Pública e Fundação Cultura.

Samba, comidas variadas, brinquedos para as crianças, artesanatos de todos os tipos. Quem participou do evento tinha uma variada opção no espaço. Fernanda Paiva, de 36 anos, estava com o marido, Augusto Marins, de 42 anos, e a filha, de três anos. Eles aprovaram o espaço e garantiram que naquele dia, ninguém ia para o fogão em casa. “Almoçamos aqui, praticamente. Já comemos churrasquinho e pizza frita, e estamos levando salgado para casa também, além de churros, que adoramos. Também comprei alguns panos de pratos e sabonetes. Além disso, minha filha brincou bastante do pula-pula e depois, sentamos para curtir uma música com os amigos. Ficou muito bom”, disse a dentista.

Bhella Santos, Gerente de Turismo de Barra Mansa, contou ao A VOZ DA CIDADE que a expectativa do evento foi cumprida e que o objetivo da prefeitura com o espaço foi de fomentar o comércio da cidade. O que foi atingido. “Todo mundo aprovou. Todo mundo curtiu e vendeu bastante. Foi excelente”, contou.

Ela destacou que no sábado esteve no Rio de Janeiro com 80 artesãs da cidade no RioArt. “Elas fizeram cursos e trocaram conhecimentos, inclusive descobrindo mais matérias-primas para desenvolver mais trabalhos. Chegamos por volta das 23 horas e muitas foram para casa mais de meia noite e hoje (ontem), às 7 horas já estavam aqui preparando tudo para o projeto Lazer no Calçadão”, contou Bhella, dizendo que das 80 que participaram no evento do Rio, mais de 30 participaram ontem do projeto.

Maria Roxo, de 54 anos, e Simone dos Santos, de 46, foram expor seus produtos de artesanato durante o projeto. A primeira, que é professora aposentada, conheceu o artesanato aos oito anos e a segunda, a cerca de 16 anos atrás.

Mariá trabalha saboaria e scrapbook. “Eu amo artesanato. Me trás paz, relaxa. Antes era um hobby, mas agora que me aposentei, virou fonte de renda para complementar o orçamento da família”, disse.

Já Simone, expos que passou por um câncer no cérebro, fazendo até hoje tratamento. Ela acabou tendo que deixar o serviço para cuidar da saúde e viu que o artesanato, antes feito também como hobby, era uma oportunidade de ganhar dinheiro. “Hoje trabalho com isso e estou muito feliz com o que faço”, garantiu.

Uma equipe do Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado (CEMAE), também esteve presente. Cecília Pacheco, da equipe de coordenação, contou ao A VOZ DA CIDADE que foram expostos para venda os produtos feitos por jovens da Oficina Profissionalizante Didi Coutinho. “Muitos deles, devido aos problemas de saúde, não conseguem emprego e na oficina, eles estão se profissionalizando. O dinheiro arrecadado em eventos como este, serve para manutenção do local e também para o atendimento dos mesmos”, explicou.

O evento teve o apoio da Secretaria de Ordem Pública, Guarda Municipal e Gerência de Fiscalização de Posturas. Segundo o secretário de Ordem Pública, Luís Furlani, o evento foi um sucesso. “A população merecia uma opção de lazer para os finais de semana e nosso objetivo é dar um atrativo para eles e, consequentemente, fomentar o comércio da cidade”, comentou. “Oferecemos um ambiente familiar, seguro e muito alegre. A intenção é continuar fazendo isso finais de semana e feriado e em pelo menos um domingo do mês, fazer um evento ainda maior”, finalizou o secretário.

 

error: Conteúdo protegido !