Lancha que atingiu quatro turistas na Semana Santa passará por perícia hoje à tarde, em Angra

0

ANGRA DOS REIS

O delegado titular da 166ª Delegacia de Polícia, Bruno Gilaberte, informou ao A VOZ DA CIDADE há pouco que a lancha que atropelou quatro pessoas, matando duas delas e deixando outras duas feridas, na última sexta-feira, na Lagoa Azul, Ilha Grande, passará por perícia hoje à tarde. Segundo o delegado, o condutor da lancha alegou problemas no acelerador da embarcação para explicar a causa do acidente. As vítimas eram turistas e mergulhavam na localidade quando foram atingidas pelo veículo. O marinheiro, que não teve a identidade divulgada pela polícia, pagou fiança e responderá em liberdade pelo duplo homicídio culposo e duas lesões corporais culposas – quando não há intenção.

Gilaberte contou que o condutor disse que já havia reportado esse problema na aceleração há algumas semanas ao proprietário da lancha, e que o dono disse que a situação já estava regularizada. O delegado afirmou ainda que a perícia na lancha que atropelou os banhistas será feita e que ele busca mais informações que possam ajudar a elucidar o que teria provocado o acidente. “Estamos ouvindo alguns profissionais da Marinha para ajudar a gente nessa perícia. Vamos buscar ouvir mais testemunhas e estamos procurando por vídeos de turistas, que por ventura tenham flagrado esse momento. Nós vamos também investigar se houve negligência por parte do proprietário na manutenção do barco, mas isso vai depender da perícia da Marinha. Ela é que vai nos dar esse norte”, finalizou Gilaberte.

O ACIDENTE

O atropelamento ocorreu por volta do meio-dia da última sexta-feira, dia 30, quando turistas estavam no mar da Lagoa Azul. Alexandre da Silva Leite, de 43 anos, e Walquíria de Almeida Barros, de 29, morreram. Camila Martinez Précoma, de 30, e Natacha de Oliveira Soares, de 27 anos, tiveram ferimentos e foram levadas para o Hospital Geral da Japuíba. Segundo informações da unidade de saúde, elas tiveram dedos dos pés amputados. As duas passaram por cirurgia e foram transferidas ontem para São José dos Campos-SP, onde continuarão recebendo acompanhamento médico. Já os corpos das duas vítimas fatais seguiram do Instituto Médico Legal (IML) de Angra dos Reis para o Rio, onde será enterrado Alexandre e São José dos Campos, cidade onde Walquíria morava.