Julio Lopes visita obras de Angra 3 acompanhado de prefeitos

0

ANGRA DOS REIS

Uma visita ao canteiro de obras da Usina Nuclear de Angra 3 foi feita pelo deputado federal Julio Lopes (PP) na  terça-feira, dia 24. Também participaram os prefeitos de Paraty, Casé Miranda (MDB), Rio Claro, José Osmar (PR), além de representante da Prefeitura de Angra dos Reis. O pré-candidato a deputado estadual, Essiomar Gomes (PP), também participou a convite de Julio Lopes. A visita teve o objetivo de unir forças para retomada dos trabalhos que estão paralisados há muitos anos.

Julio Lopes defendeu maior coparticipação entre a estatal e as prefeituras.

“É preciso ter uma contrapartida mais efetiva para atender às demandas das prefeituras da região, mas, para tanto, tem de haver uma integração maior com a Eletronuclear. Quem acompanha o meu trabalho sabe que luto há mais de um ano, por uma solução que permita a Eletronuclear reequilibrar suas contas, organizar suas dívidas e, assim, honrar os seus compromissos financeiros com os municípios de Angra dos Reis, Rio Claro e Paraty”, destacou o deputado.

Julio lembrou que a inadimplência da Eletronuclear no repasse dos royalties aos municípios da Costa Verde foi muito prejudicial, deixando a população carente de recursos fundamentais, como para a manutenção do Hospital Municipal de Paraty, da Defesa Civil de Rio Claro, e dos Postos de Saúde de Perequê e Frade, em Angra. “Mas essa situação vai mudar. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou a equalização da tarifa de energia elétrica de Angra, conforme propôs a minha indicação legislativa 5340/18 ao Ministério de Minas e Energia, e isso permitirá que a estatal renegocie as suas dívidas e retome as obras de Angra 3”, explicou Julio Lopes.

Segundo o presidente da estatal, Leonan dos Santos Guimarães, 70% do fornecimento de energia para o estado virá das três usinas. “Nosso rendimento é de R$ 270 milhões, mas pagamos em dívidas R$ 89 milhões. Não há orçamento que suporte essa quantia de quase 30% negativo na folha. Precisamos de Angra 3, sem falar que 70% do empreendimento já está concluído, portanto, com as três usinas funcionando, vamos praticamente atender quase todo o estado”, explicou Leonan, completando que Angra 3 gera em despesas com manutenção cerca de R$ 30 milhões por ano.

A Eletronuclear informou que o custo para conclusão da obra de Angra 3 é de R$ 12 bilhões, mas o valor de uma possível desistência do empreendimento nuclear, ultrapassaria a casa de R$ 14 bilhões. Outra informação importante é que Angra 3 gera em despesas com manutenção, cerca de 30 milhões por ano.

“É inadmissível ver uma obra tão importante para o nosso estado, abandonada. Somente essa obra geraria nove mil empregos diretos e indiretos”, informou Essiomar.

Também participaram do encontro o vice-prefeito de Paraty, Luciano de Oliveira Vidal, acompanhado do secretário de Ação Social, Valdecir Ramiro; o vice-prefeito de Rio Claro, Babton Biondi e o secretário interino de Governo e Relações Institucionais de Angra, Alexandre Giovanetti Lima.

FURNAS

Hoje, o deputado federal participou da abertura do IX Seminário Internacional de Energia Nuclear (Sien), que acontece até sexta-feira, no auditório de Furnas, em Botafogo, Rio de Janeiro. O evento propõe analisar e debater a questão de Angra 3, considerada por especialistas do setor elétrico como fundamental para a segurança energética do Brasil.

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !