Jovem leva informação e reflexão através das redes sociais

0

RESENDE

Prevenção ao suicídio, homofobia, política, políticas públicas.  Com apenas 17 anos o estudante, ator e cantor, Miguel da Costa Seabra Winter, visa a conscientização sobre esses temas em suas redes sociais.

Na última semana, Gui, como é conhecido, visando colaborar com a campanha Setembro Amarelo, postou em seu canal um vídeo com a Drag juvenil Safira, onde abordam vários temas importantes como homofobia, preconceito, depressão entre outros.  “Hoje em dia há pessoas muito preconceituosas sobre os temas que abordamos no canal.É preciso conscientiza-las e proporcionar a reflexão. Depressão não é frescura, não é falta de fé. É uma doença e precisa ser tratada de forma adequada”, cita.

Há dois anos atuantes nas redes sociais, Gui se considera politizado, formador de opinião, com censo crítico, além de ser um jovem consciente. “A atual sociedade exige isso. Que o jovem saiba seus direitos, deveres e lute por eles. Já recebi muita crítica pelo conteúdo, minhas redes sociais foram inúmeras vezes denunciadas, mas nunca pensei em desistir. Esse é o caminho certo, de jovem para jovem, usando linguagem simples e clara”, explica Gui, informando que há vídeos novos todas as terças e sábados a partir de meia-noite. Seu Instagram ultrapassa os 80 mil seguidores e no Youtube, 15 mil.

Ator

Desde criança, Miguel sonhava em fazer novelas, ingressou em cursos de teatro, e conseguiu seus objetivos, já participou das gravações das novelas da Record: Vitória, Os dez mandamentos e Terra Prometida.

Além disso, juntamente com a sua mãe, tocam o projeto ‘Brilho para Todos’, projeto social que atende a 480 alunos, levando noções de moda, comportamento e vivência para eles.

NAS REDES

Instagram: https://www.instagram.com/guiwinter_1/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCo_bid2lKU4rTeUbDgicrJA

Jovens com maior interesse na política

A geração de 16 a 25 anos poderá assumir na vida pública um bonde que representantes da faixa dos 40 anos acreditam ter perdido. É o que aponta uma pesquisa Datafolha feita em agosto mostrando que os jovens são o grupo com maior interesse em participar da política, seja disputando eleição ou assumindo cargo de governo. O Datafolha ouviu 2.086 pessoas em 129 cidades (margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos).

Entre os entrevistados, 29% dos que têm entre 16 e 25 anos responderam ter muito interesse ou um pouco de interesse em encarar as urnas. Conforme a idade sobe, diminui a disposição. De 26 a 40 anos, 19% das pessoas respondem dessa forma. Na faixa acima de 41 anos, a taxa é de 15%.

Movimento semelhante ocorre quando a questão é ocupar um posto público, mas sem ter sido candidato. Enquanto 34% das pessoas de 16 a 25 dizem ter interesse na ideia, o percentual é de 30% na ala de 26 a 40 e de 23% no grupo com mais de 41 anos.

A grande maioria em todas as faixas etárias, no entanto, é composta pelos que falam não ter nenhuma vontade de atuar em postos de decisão. Mesmo quando havia interesse pela política, boa parte dos que eram jovens na fase na fase da redemocratização, entre as décadas de 1980 e 1990, ficaram afastados da esfera pública formal.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !