Joias nas unhas são as novas tendências do universo feminino

0

BARRA MANSA

Francesinha clássica ou invertida, uma unha de cada cor, com elementos gráficos, com efeito de ‘vidro quebrado’, em versões pop, vazadas, básicas, extravagantes, com formatos quadrado, redondo ou stiletto, adornadas com joias das mais diversas. Há tempos, graças à nail art, as unhas deixaram o posto de coadjuvantes para se tornarem protagonistas no visual feminino, e até mesmo masculino.

Nomes como Kylie Jenner, Rihanna, Beyoncé, Nicki Minaj, Adele, Gigi Hadid, Rita Ora, Rosalía e Cardi B, além das brasileiras Duda Beat e Cleo, por exemplo, endossam a tendência e fazem parte de uma lista de famosas viciadas em usar joias para unhas. Se você também quer investir em artes estilizadas com adereços como piercings, adesivos, pom poms, strass e pedrarias, mas tem receio de como se iniciar nesse universo, é fácil, como pode conferir abaixo.

DICAS

1 – Qualquer pessoa pode usar, basta querer. O uso das joias, assim como de qualquer tipo de arte nas unhas, trata-se de expressão pessoal.

2 – Encontre profissionais que sugiram algo que combine com seu estilo e que, se for o caso, seja adequado para uma ocasião específica. É importante que o artista sugira algo especial para cada pessoa, algo que ela realmente goste e use, já que por se tratar de algo ainda novo para algumas.

3 – Existem as joias artesanais, que podem ser confeccionadas diretamente nas unhas pela profissional, onde é feita uma composição de formas que se complementam. E as joias prontas, em formatos e cores já pré-selecionadas.

4 – Para não exagerar basta escolher um, dois ou mais entre os 10 da mão e fazer uma pequena aplicação próxima da área da cutícula. Às vezes, apenas um strass ou um ponto de luz, já passa a informação.

5 – Top coat (um gel de acabamento) e acrílico (para construção de unhas) são a dupla perfeita para aplicação e alta durabilidade das joias. O acrílico é necessário apenas para joias mais pesadas e maiores.

6 – Esse tipo de nail art costuma durar, em média, três semanas. Tempo que as unhas naturais crescem e as clientes costumam voltar para refazer. Mas a verdade é que não há com o que se preocupar: se aplicadas corretamente, a durabilidade é muito grande.

7 – Muitas pessoas têm vontade de aderir à nail art, mas não sabem como. No caso das mais inseguras, vale iniciar de uma maneira discreta, com um dedo só, ou com joias pequenas, por exemplo. É fundamental sempre tentar entender o que é mais indicado para cada perfil de mulher.

8 – Não necessariamente as joias precisam ser aplicadas em unhas grandes: em tamanhos naturais, também ficam ótimas. Dá para aplicar algo que fique bonito, chique e sofisticado nelas. Mas há, realmente, quem prefere alongar.

9 – O que o pessoal tem pedido muito no momento são várias pequenas joias aplicadas numa composição exclusiva

10 – Exagerar nas unhas também pode ser uma maneira de se divertir.

 

Manicure dá dicas de como não errar ao fazer as unhas em casa

Fazer as unhas em casa pode ser uma mão na roda: além de passar o tempo, ajuda a economizar uns trocados. No entanto, além de exigir uma certa prática, o hábito deve ser acompanhado de alguns cuidados para não estragar o trabalho ou prejudicar a saúde – como o uso do esmalte hipoalergênico. A manicure Janaína da Silva, enumera os erros mais comuns das manicures amadoras.

Não passar base

Muitas pessoas acham que não precisam de base. “A base funciona como um primer para suas unhas e sela os óleos naturais, que impedem a aderência do esmalte”, cita.

Tirar as cutículas

Uma das práticas mais comuns entre as brasileiras, tirar as cutículas é realmente um problema porque, basicamente, você está se cortando de propósito e abrindo caminho para microorganismos. “Toda cliente pede para tirar as cutículas bem fundas, mas é um grande erro, já que as cutículas servem para proteger a matriz da unha. Uma opção é empurrar as cutículas com um palito de laranjeira e creme específico para esse fim. Isso também evita pelinhas soltas”.

Não limpar seus utensílios

Mesmo que só você use seu alicate, seu cortador de unhas e suas lixas, o acúmulo de tecido nos instrumentos é um convite para as bactérias se instalarem. “Se eles ficam guardados em um ambiente fechado, pior ainda. Lave sempre com sabonete bactericida e álcool para evitar infecções”, destaca.

Aplicar camadas grossas

O esmalte não foi feito para ser aplicado em camadas espessas e demora muito a secar nessa situação. O melhor é aplicar três ou quatro camadas finas em vez de duas grossas, evitando a formação de bolhas e marcas na unha.

Chacoalhar o frasco de esmalte

Se você precisar misturar a tinta, role o frasco entre as mãos como se estivesse brincando com massa de modelar.

Lixar as unhas em vai-e-vem

O movimento de vai-e-vem cria farpas e pequenas fissuras na unha, que podem evoluir e trincar a unha. Em vez disso, lixe em uma só direção. Pode ser mais demorado e cansativo, mas o resultado final é mais uniforme e polido.

Usar produtos de secagem rápida

Esmaltes e sprays de secagem rápida exercem tão bem sua função que acabam desidratando as unhas. “Em geral, esses produtos têm acetona em sua fórmula, ingrediente que enfraquece as unhas. No lugar, indico óleo para cutículas ou óleo secante, que funciona como uma barreira protetora enquanto o esmalte ainda está fresco e ajuda a manter a hidratação”.

Limpar os excessos com algodão

O problema de usar algodão, quer seja em um palito de laranjeira ou numa haste flexível, é que as fibras muitas vezes ficam presas no esmalte úmido. Para evitar esse risco, opte por um pincel de cerdas retas embebido em removedor e pincele ao redor da unha. Ou tenha paciência e descasque os excessos durante o banho quente.

 

 

 

Deixe um Comentário

error: Conteúdo protegido !