Instituto Cultural Municipal recebe OSBM e saxofonista Léo Gandelman

0

A Orquestra Sinfônica de Barra Mansa terá um convidado especial para o concerto de hoje. Com a regência de Daniel Guedes, a OSBM recebe como solista da noite o saxofonista Léo Gandelman, um dos nomes de destaque da música brasileira. O evento acontece no Instituto Cultural Municipal, no Centro de Barra Mansa, a partir das 20 horas, com entrada franca.

Nesta noite, a OSBM mescla o clássico e o popular, em um repertório promete agradar em cheio ao público. O concerto será aberto com ‘Sinfonia No 1 em Dó Maior Op.21’, de Beethoven, seguida de ‘Concertino Para Saxofone e Orquestra’, de Radamés Gnattali. Fazem parte ainda do programa as canções ‘Valsa Triste’, também de Gnattali, ‘As Rosas Não Falam’, de Cartola, ‘Lamento’, de Pixinguinha e Vinícius de Moraes, e ‘Furuvudé’, composição do próprio Gandelman.

O saxofonista, que esteve em Barra Mansa no último dia 21, para ensaiar com a OSBM, comentou sobre a expectativa para a apresentação, elogiando a orquestra. “Num momento em que nosso país vive uma fase de desmonte de orquestras, tocar com a Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, com quem já toquei outras vezes, é um grande prazer. A OSBM é uma orquestra que se renova, que está sempre crescendo, melhorando”, afirmou ele.

Gandelman falou ainda sobre o repertório escolhido e destacou como especial o fato de tocar pela primeira vez uma música com um novo arranjo, feito pelo trombonista Vittor Santos. “Será um momento muito especial tocar com a orquestra, pela primeira vez, ‘Lamentos’, com arranjo de Vittor Santos. Também quase não tenho oportunidade de tocar composições minhas como ‘Furuvudé’, com uma orquestra. E quero dizer também que é uma honra tocar com Daniel Guedes, um músico acima da média, que faz música com o coração, que entende a música de forma especial”, falou o saxofonista, ressaltando ainda a execução de ‘Concertino’, de Radamés Gnattali. Ele é um dos maiores compositores da música brasileira. Toquei essa peça, em 2001, em Nova Iorque, no Linconl Center. Ele tem elementos da música brasileira, da música universal. Me perguntaram ‘Essa música é brasileira?’, ‘É jazz?’, e eu respondi ‘É Radamés!’ – contou.

Gandelman também elogiou o Projeto Música nas Escolas, desenvolvido no município. “Esse projeto é simplesmente espetacular e o resultado está aí, com essa orquestra maravilhosa, que hoje é conhecida no país inteiro. O maestro Vantoil está de parabéns, ele é um visionário, um empreendedor da música”, aponta.

O SOLISTA

Mais conhecido como instrumentista, com destaque para o saxofone, Léo Gandelman é um artista marcado pela versatilidade: é também compositor, arranjador e produtor musical. Começou seus estudos musicais cedo, aos 6 anos, e, embora aos 15 já fosse solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, pontua sua carreira entre o clássico e o popular com a mesma desenvoltura, o que o consagrou junto a públicos variados. Além dos trabalhos próprios, com os quais chegou a mais de 500 mil discos vendidos, participou de gravações de diversos grandes nomes da música brasileira, somando participações em mais de mil discos. Em 30 anos de carreira solo, Léo Gandelman é hoje um dos mais influentes músicos brasileiros. Atualmente, também apresenta o programa ‘Vamos Tocar’, no canal Bis, da Globosat, que já está na sua terceira temporada.