INSS terá militares da reserva no atendimento aos segurados

0

SUL FLUMINENSE

Os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) enfrentam dificuldades para agendar serviços e realizar atendimento em unidades do INSS em todo o país, na região a situação é semelhante. Segundo o INSS, são quase dois milhões de benefícios à espera de concessão de aposentadorias, salários-maternidade e Benefícios de Prestação Continuada (BPC/Loas). E desse total, o instituto calcula que 1,3 milhão de pedidos aguardam a liberação há mais de 45 dias, que é o prazo regulamentar do órgão para conceder ou negar um pedido. Pela regra de concessão, passado este prazo, o INSS é obrigado a pagar correção monetária sobre os valores devidos.

Para reduzir a demanda de atendimento o governo federal anunciou na terça-feira, dia 14, a contratação temporária de 7 mil militares da reserva, a partir de abril. Os voluntários serão convidados para auxiliar o atendimento, após treinamento, analisar documentos dos requisitantes e dar prosseguimento aos pedidos de pagamento previdenciário. De acordo com o Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), cerca de 20% dos pedidos têm concessão automática, sem necessidade de análise do servidor por alguma pendência ou inconsistência.

Os militares receberão 30% a mais que o vencimento de reservista, sem vinculo empregatício. A medida custará R$ 14,5 milhões por mês ao governo, que pretende compensar com a diminuição da correção monetária que será paga nos benefícios concedidos. Além da ajuda dos militares, até 2,5 mil funcionários do INSS do atendimento presencial devem ser remanejados para a análise de processos dos segurados.

Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, o estoque de processos acumulados deve ser zerado até o fim de setembro. Entre os segurados, a medida é mais que urgente. “Aguardo quase três meses para o pagamento do meu auxílio-doença. Torço para que essa contratação (dos temporários) saias”, informa a comerciária Rosália Figueira. Dados do INSS revelam que existem aproximadamente 720 mil processos aguardando definição para o pagamento do benefício previdenciário. Em média, são 988 mil pedidos mensalmente no país. O A VOZ DA CIDADE solicitou informações ao INSS sobre a demanda nas unidades de Volta Redonda, Barra Mansa e Resende, porém, não obteve retorno, até o momento desta postagem.

O INSS tem 23 mil funcionários. No fim de 2018, eram 33 mil servidores. A fila aumentou em 2019, quando muitos funcionários do INSS começaram a se aposentar após incorporar gratificação à aposentadoria. Em 2018, houve o pedido do instituto ao Ministério do Planejamento para a organização de concurso público visando preencher cerca de 8 mil vagas, porém o pedido não foi atendido e segue sem previsão.