Indústria da construção tem evolução de 3,3% em agosto

0

SUL FLUMINENSE

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou a Sondagem Indústria da Construção, que indicou o desempenho cada vez mais favorável em agosto. A confiança do empresário do setor também subiu. O levantamento revela um cenário mais favorável para esse segmento que registrou forte redução da atividade em abril.

A indústria de construção abrange a construção de grande porte com destaque para o setor naval, civil e pesada. No mês de agosto, os índices de evolução do nível de atividade e do número de empregados apontam que o desempenho da indústria de construção continua se recuperando. Eles estão crescendo desde maio com desempenho cada vez mais favorável.

O índice de evolução do nível de atividade registrou 51,4 pontos em agosto, alta de 3,3 pontos frente a julho. O índice é o maior desde junho de 2011 e revela melhora significativa do nível e atividade na comparação com o mês anterior. O índice varia de 0 a 100 e, ao se situar acima da linha divisória de 50 pontos, o indicador aponta para aumento da atividade no mês. “O dado de agosto reforça a percepção da rápida recuperação da atividade do setor após a forte queda de abril”, avalia o gerente de Análise Econômica, Marcelo Azevedo.

Os dados reforçam a evolução do setor no Sul Fluminense, onde empreiteiras desenvolvem principalmente os projetos habitacionais fomentando o sonho da casa própria de diversas famílias. “Consultamos projetos em andamento em Volta Redonda, Barra Mansa e em Resende. São diversas empresas e várias condições de negociação. A meta é conquistar um apartamento com dois quartos e sair de vez do aluguel”, comenta o empresário Osvaldo da Cunha, 56. E com o setor em ascensão surgem novas vagas de emprego.

Segundo a CNI, o índice de evolução do número de empregados aumentou 2,7 pontos, para 49,5 pontos, e está praticamente sobre a linha divisória, o que denota estabilidade do emprego. O dado é mais positivo do que agosto de 2019, quando o índice foi 47,9 pontos. “Aproveitei uma obras em Resende,  para garantir a renda. A construção do empreendimento me permite trabalhar como encarregado e acredito que terminando o projeto teremos um 2021 melhor, afinal novos projetos devem ser criados na região se a pandemia terminar”, conta José Roberto Alves, 49.

A Utilização da Capacidade Operacional (UCO) apresentou nova alta em agosto, aumentando em dois pontos percentuais e alcançando 60%. O percentual de agosto de 2020 também é superior em dois pontos percentuais ao de agosto de 2019, se iguala ao registrado em agosto de 2018 e supera o percentual para o mês registrado entre 2015 e 2017.

CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-Construção) apresentou alta de 2,7 pontos no mês, atingindo 56,7 pontos. É a quinta alta consecutiva do índice, que acumula incremento de 21,9 pontos no período. Com a alta, o ICEI-Construção se distancia de sua média histórica e da linha divisória de 50 pontos, que separa confiança de falta de confiança. “O indicador de Confiança mostra sentimento de confiança maior e mais disseminado entre os empresários da indústria da construção. A alta da confiança promove a volta das contratações do setor, que por sua vez auxilia o processo de recuperação da economia”, explica Marcelo Azevedo

error: Conteúdo protegido !