Incêndio de grandes proporções no interior da CSN, em Volta Redonda, deixa moradores assustados

0

VOLTA REDONDA
Moradores de vários bairros de Volta Redonda ficaram assustados com um
incêndio de grandes proporções que atingiu uma área no interior da Usina Presidente Vargas (UPV), da Companhia Siderúrgica Nacional ( CSN) no final da noite de ontem, dia 25. As labaredas e o rolo de fumaça foram vistos por moradores de vários bairros, entre eles Conforto, Aterrado, Nossa Senhora das Graças e Vila Mury. Vários estrondos também foram ouvidos.
Em nota, no início da madrugada desta terça-feira, dia 26, a CSN confirmou o local do incêndio ocorreu no galpão 34, próximo a entrada do Estádio Raulino de Oliveira, no bairro Aterrado. Trata-se do pátio de recicláveis da empresa, onde há uma grande quantidade de materiais inflamáveis, como plástico e papelão. Informou ainda que não havia funcionários no local no momento do incêndio. No início da madrugada, a empresa informou também que o fogo já estava sendo controlado e que as causas do incêndio serão apuradas.

SUSTO

A dona de casa Cleonice Machado, de 56 anos, residente no bairro Retiro contou ao A VOZ DA CIDADE que foi um susto. Explicou que como dorme pouco, já está acostumada a ver pela janela da residência durante a madrugada muita fumaça na usina e também labaredas muito altas. “Só que, desta vez, foi mesmo um grande susto, pois o fogo estava muito alto e o rolo de fumaça preta, assustador. A partir daí comecei a entrar nos grupos de família e amigos para constatar o que estava acontecendo”, contou a dina de casa, ressaltando que só se acalmou depois que ficou sabendo que não houve mortos e nem feridos.

Como a dona de casa Cleonice, o lanterneiro Angelo Gonçalves, de 43 anos, também se surpreendeu com o incêndio. Disse que estava na casa de amigos comemorando um aniversário no bairro Nossa Senhora das Graças quando um deles viu o fogo alto e alertou os outros. “Era muito fogo e fumaça. Nunca tinha visto isso antes. Logo entramos em contato com o Corpo de Bombeiros, mas mesmo assim só tivemos a confirmação do incêndio muito tempo depois. É que eu acho que primeiro a empresa aciona a brigada dela e só depois o Corpo de Bombeiros aqui de fora”, contou, comemorando que não houve feridos. “Ainda bem que se trata de uma área sem movimentação de funcionários. Ainda bem, gloria a Deus”, concluiu o lanterneiro.