Idosa de 108 anos de Rio das Flores se recusa a tomar a vacina para deixar aos mais jovens

0

RIO DAS FLORES

Ontem foi divulgado que o primeiro vacinado de Rio das Flores foi um idoso de 99 anos, Silvino Machado, às vésperas de completar um século de vida. Porém, Dona Hilda Cândida, de 108 anos, seria a primeira da lista. Seria porque abriu mão da dose que tinha direito, com a justificativa de que alguém mais novo possa usar.

Em entrevista ao jornal O Globo disse que já tinha vivido muita coisa na vida que preferia dar a vez para alguém mais novo, que ainda pode viver mais do que ela. Dona Hilda completará 109 anos no dia 2 de março.

Lúcida, fica boa parte do dia sentada no banco da varanda de sua casa. É natural de Santo Antônio de Olaria, Minas Gerais. Mora sozinha no distrito de Manuel Duarte, mas conta com o apoio de um neto que reside em outra casa no mesmo terreno. É mãe de sete filhos, três já falecidos. Netos e tataranetos perdeu as contas de quantos tem.

Dispensando a vacina, Dona Hilda diz que continuará se cuidando. Está isolada de vizinhos e amigos.

Rio das Flores receberá no total 170 doses da CoronaVac, destinadas a 84 pessoas, sendo seis idosos acima de 60 anos asilados e 78 profissionais da saúde. Como a cidade não possui asilados, porém, conta com vários cidadãos que fazem parte da terceira idade, as seis doses foram destinadas aos idosos mais velhos da cidade, todos com idade acima de 90 anos. Cinco deles já tomaram o imunizante, menos Dona Hilda.

De acordo com a enfermeira e coordenadora do Centro de Triagem do Covid-19 da cidade, Cristiane Moreira, a decisão do destino das doses que seriam para os asilados, foi uma determinação da Prefeitura de Rio das Flores, em conjunto com a Secretaria de Saúde e do setor de Vigilância de Saúde. “Iniciamos a vacinação dos idosos e dos profissionais da saúde, ainda na última terça-feira, dia 19, quando foram imunizados dois idosos, de 100 anos e um de 99 anos. Já nesta quarta-feira, dia 20, os outros três foram imunizados, todos com idade acima de 90 anos”, disse, acrescentando que 22 profissionais já foram vacinados com a CoronaVac, no Centro de Triagem de Sintomas Respiratórios, localizado no Hospital Geral Doutor Luiz Pinto.

Cristiane contou ainda que a imunização dos idosos aconteceu de maneira domiciliar, visando a segurança deles.

Sobre a senhora que se recusou a tomar a vacina, a coordenadora informou que Dona Hilda estaria com receios. “Os familiares estão cientes da decisão. Ela relata que não vai tomar, pois há muito tempo teve pneumonia e na época ela não pode se vacinar, por não ser o recomendado devido o seu quadro. O que poderia agravar sua situação. Então agora com a vacina contra a Covid-19, ela ficou com isso na cabeça e se negou a tomar o imunizante, comentando que deixaria para os mais jovens”, explicou.

 

error: Conteúdo protegido !