Hospital São João Batista de Volta Redonda recebe investimentos em infraesturura e novos equipamentos

0

VOLTA REDONDA
O Hospital São João Batista (HSJB) de Volta Redonda tem recebido investimentos seguidos em infraestrutura e na compra de novos equipamentos. As melhorias beneficiam, principalmente, as enfermarias da Clínica Cirúrgica e do Centro Cirúrgico e vão garantir mais conforto e segurança para pacientes e profissionais da saúde na retomada das cirurgias eletivas, aquelas que não são consideradas de emergência, que estavam suspensas desde o ano passado.
As melhorias foram implantadas principalmente partir do mês de maio, quando a nova gestão assumiu a unidade de forma compartilhada com interventores nomeados no ano passado. A unidade estava sob intervenção judicial desde novembro de 2020, por conta de problemas da antiga administração com uma organização social. Nesta terça-feira, dia 10, foi assinado o acordo que colocou fim à intervenção oficialmente. Com isso, administração do hospital volta a ser totalmente responsabilidade da prefeitura municipal. Três das oito enfermarias da Clínicas Cirúrgica passaram por obras de infraestrutura, com pintura geral, reforma nos banheiros e outras melhorias. Os espaços destinados a receber pacientes no pré e pós-operatório também receberam nova mobília, como camas, poltronas para acompanhantes e mesas de refeição. Também foram adquiridos suportes para soro e escadas de acesso aos leitos, que beneficiaram, além da Clínicas Cirúrgica, outros setores do hospital.
As quatro salas de cirurgia do HSJB também foram revitalizadas e receberam focos cirúrgicos mais modernos. Os equipamentos, que estão sendo instalados, contam com lâmpadas de LED, e garantem mais segurança nos procedimentos. Além disso, foram adquiridos mais dois carrinhos de anestesia, que devem chegar à unidade em 30 dias.
RETOMADA DAS CIRURGIAS ELETIVAS
De acordo com o diretor geral do Hospital São João Batista, o vice-prefeito Sebastião Faria, as intervenções preparam a unidade para a retomada das cirurgias eletivas, que se tornou possível após iniciativa do governo municipal que transformou o Hospital Municipal Dr. Munir Rafful (HMMR), o Hospital do Retiro, em unidade referência no tratamento dos pacientes com a Covid-19, assim como no acolhimento aos casos suspeitos. “Assim como adotamos protocolos especiais de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus para retomar as cirurgias eletivas, vimos a necessidade de melhorar a estrutura física e os equipamentos do hospital para absorver esta demanda. Hoje, temos uma média de 180 cirurgias por mês e a estimativa é chegar a 300 no período. As melhorias vão impactar positivamente no conforto e segurança de paciente e profissionais da unidade”, afirmou Faria.
NOVOS INVESTIMENTOS PREVISTOS
Por conta da transferência da assistência aos casos de Covid-19, confirmados e suspeitos, para o Hospital Munir Rafful, um dos espaços destinados a este atendimento dentro do Hospital São João Batista foi desativado. O Pronto Socorro Infantil (PSI), que abrigou leitos para internação pela doença, passou por reforma geral. O local foi todo pintado e recebeu revestimento com novos azulejos.
Os depósitos de resíduos, comum e infectado, também receberam melhorias e adequações sanitárias. O espaço foi totalmente azulejado e foram implantados contêineres para evitar que os sacos de lixo sejam depositados no chão, o que é contra as normas nas unidades hospitalares.
OUTRAS MELHORIAS
As enfermarias da Clínica Médica, destinadas aos pacientes em tratamento clínico das patologias, receberam novas portas com chapas de alumínio e fechaduras, garantindo a privacidade dos usuários. Além disso, foi substituído todo revestimento do piso de acesso ao Hemonúcleo de Volta Redonda, que funciona no hospital. Mais uma ação para aumentar a segurança dos usuários.
A assessora técnica da direção do Hospital São João Batista, Cláudia Freitas, afirmou que outras melhorias já estão programadas. “Recebemos o mobiliário do hospital totalmente sucateado, com portas quebradas, faltando maçanetas, em estado precário. A recuperação deste material deve começar em cerca de um mês e é mais uma ação para tornar o HSJB novamente referência no atendimento da população”, concluiu.