Governo esclarece caso envolvendo distribuição de sopa

0

Aconteceu na tarde de ontem na sede da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos uma reunião que esclareceu o caso envolvendo a distribuição de sopa por na Gare da Estação. Há mais de 15 anos voluntários realizam a distribuição de sopa gratuitamente para moradores de rua. E nas redes sociais acusaram guardas municipais de impedirem a iniciativa na noite de terça-feira, dia 30. Ficou definido que a distribuição de sopa continuará sendo realizada na Gare da Estação.

Participaram da reunião a secretária de Assistência Social, Ruth Coutinho, o comandante da Guarda Municipal, Joel Valcir, o Padre Milan Knezociv da Paróquia São Sebastião, os voluntários Letícia Angelim, Miriam Novaes, Benedito Daniel e Amadeu Rodrigues Filho e demais representantes de grupos religiosos e voluntários que servem sopão nas ruas da cidade.

O comandante da Guarda Municipal, Joel Valcir, disse que foi um erro de interpretação a informação sobre a proibição da distribuição de sopa no local. Desde a última semana a antiga estação, a Gare, foi ocupada pela Guarda Municipal. No local, havia uma quantidade grande de moradores de rua. De acordo com Valcir, ação foi necessária para melhorar a segurança da cidade, combater a prostituição, o tráfico de drogas, furtos, assaltos, invasões, depredação e abandono do equipamento público. “A ocupação nada tem a ver com a distribuição de sopa, que continua e sempre continuará liberada”, explicou.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Ruth Coutinho, se colocou a disposição dos voluntários. “Em nenhum momento foi proibida a entrega de sopa em qualquer local da cidade, muito menos na Gare da Estação. A Secretaria se coloca totalmente favorável ao trabalho desenvolvido pelos voluntários na distribuição da sopa e de outros serviços que beneficiem a população de rua”, enfatizou.

O padre Milan sugeriu a criação de um local específico para distribuição de sopa, como por exemplo, o antigo Restaurante Popular ou a sede da Secretaria de Assistência Social. “A reunião foi muito esclarecedora. Vamos agora encontrar uma forma de aumentar o trabalho de assistência aos moradores em situação de rua e encontrar parceiros a nos ajudar”, afirmou.

Uma das que ajudam voluntariamente a distribuição de sopa é Letícia Angelim. Ela desenvolve o trabalho há cinco anos. Segundo ela, o encontro mostrou com é importante a união de forças para solucionar problemas e esclarecer.

Ocupação Artística da Antiga Estação

A Fundação Cultura Barra Mansa através do presidente Marcelo Bravo implantará um plano de ação com diversas atividades culturais e artísticas para a Antiga Estação, o que não acarretará nenhum impedimento para a realização de ações sociais, como a distribuição de sopa.

error: Conteúdo protegido !