Galeria de Arte Clécio Penedo é inaugurada no Palácio Barão de Guapy

0

BARRA MANSA

O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, e o presidente da Fundação Cultura, Marcelo Bravo, inauguraram na noite de sexta-feira, dia 22, a Galeria de Arte Clécio Penedo, no Palácio Barão de Guapy, Centro. O evento contou com a presença de Antonieta Millen Penedo, que foi casada com o artista, além dos filhos, familiares e amigos, entre outros.

A primeira mostra apresentada no espaço reúne uma coletânea de obras do artista mineiro, que chegou à Barra Mansa com pouco mais de cinco anos de idade. São trabalhos produzidos desde a década de 1970 até a sua morte, em 2004. As imagens revelam contrapontos, ironias e satirizações de um artista denso, visivelmente motivado pela expressão estética original e criativa. Evidenciam ainda um artista interessado em falar, fundamentalmente, da realidade coletiva que o cerca, fazendo-o com elaborada percepção e sensibilidade.

Rodrigo Drable disse da sua satisfação em inaugurar a Galeria. “Estamos fazendo justiça e reconhecendo a participação do Clécio Penedo na história da cidade. Ele, a pedido, do também já falecido médico obstetra doutor José Carlos Faria desenhou o Brasão cidade; também levou e elevou o nome de Barra Mansa, através das suas obras, para outros países, como França, Alemanha e o Japão. Este momento é muito importante para celebrarmos a utilização funcional de mais um equipamento cultural pela sociedade. É uma galeria simples singela, mas é nossa”, destacou.

Marcelo Bravo lembrou que as obras do artista Clécio Penedo são referências em várias partes do mundo. “A cidade de Barra Mansa sempre reconheceu a contribuição do artista para a arte, sendo ele, a maior expressão do desenho brasileiro da década de 1990. Nos orgulhamos do seu legado, prova disso, é que sua memória é honrada com seu nome em diversas homenagens, como a medalha de Mérito Cultural da Câmara de Vereadores, uma escola municipal e agora a galeria de arte pública no prédio mais importante de Barra Mansa, o Palácio Barão de Guapy”, pontuou.

Ainda de acordo com Bravo, essa não é a primeira vez que um espaço dedicado a exposições recebe o nome do artista. “O Centro Universitário de Barra Mansa manteve por quase duas décadas a Galeria Clécio Penedo, mas acabou sendo desativada em 2020. Hoje a sensação é de dever cumprido e com a garantia de que as próximas gerações poderão contar com um espaço elegante, tecnicamente preparado, com programa educativo e inserido numa importante rede de galerias de arte na região, no estado e no país. Ainda não surgiu artista que superasse o legado de Clécio, sua narrativa poética, habilidades e técnicas de produção de imagens”.

Para Antonieta Penedo, a iniciativa de colocar o nome de Clécio Penedo na nova galeria, foi uma sensação indescritível. “Barra Mansa, na pessoa do prefeito Rodrigo Drable e do presidente da FCBM, Marcelo Bravo, ao fazerem o convite, proporcionaram para minha família um reconhecimento que há muito tempo esperávamos. Sem dúvida ficamos agradecidos e temos a certeza de que, muitos artistas renomados virão abrilhantar esse espaço em nível de cidade grande”, declarou Antonieta.

A filha do artista, Ângela Millen Penedo Vitorino, disse que a iniciativa era a concretização de um esforço coletivo e familiar para manter o trabalho de Clécio Penedo vivo e eternizado por gerações.

A EXPOSIÇÃO

Foto: Chico de Assis/PMBM


Entre as obras expostas, destaque para “És Tupi do Brasil”, “A Revolta da Chibata”, “Nominados”, “Geróticos”, “Corpo Sem Cabeça”, “Ensaio do Baralho”, além de “Re-tratos de Dom Pedro I e Dom João”, trabalhos que foram expostos na primeira Sala do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro, no período de outubro de 2019 a fevereiro de 2020.

A mostra pode ser visitada de segunda a sexta-feira, de 8 às 17horas. A partir de novembro, de segunda-feira a sábado, também de 8 às 17 horas e aos domingos, de 9 às 15 horas.

A programação da mostra foi realizada através de editais, acompanhando o programa de ocupação das unidades culturais criado pelo prefeito Rodrigo Drable, por meio do decreto nº 8953 e pelos programas setoriais das artes visuais. O planejamento das mostras para 2022 será feito por meio de novo edital de seleção.

A seleção por meio de editais é uma política cultural contemporânea que visa ampliar o acesso e dar transparência, garantindo a democratização da utilização dos espaços públicos.

O ARTISTA

Clécio Penedo nasceu em 1936, em Bom Jardim (MG), mas veio para Barra Mansa em 1942, com seus pais, com pouco mais de cinco anos de idade. Aqui, iniciou as primeiras aulas de pintura e alavancou sua trajetória no mundo das artes e cultura e também constituiu família.

Clécio Penedo frequentou a Escola Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro, na década de 1950. Ele produziu diversas séries, com destaque para “Geróticos”, “A Revolta da Chibata”, “Corpo Sem Cabeça”, e “És Tupi do Brasil”. Suas obras compõem o acervo de grandes museus, além de já terem sido expostas em vários estados brasileiros, no Japão e na Alemanha.