Freixo faz pré-campanha ao Governo do Estado em cidades do Sul Fluminense

0

SUL FLUMINENSE

As cidades de Barra do Piraí, Volta Redonda, Barra Mansa, Resende e Pinheiral serão visitadas pelo pré-candidato ao Governo do Estado, Marcelo Freixo (PSB), entre esta sexta-feira e sábado, dias 24 e 25. Ele é atualmente deputado federal.

A agenda começa no dia 24, às 9 horas, em Barra do Piraí. O pré-candidato fará uma visita à Catedral de Sant’ana. Depois segue para Volta Redonda, às 11 horas, onde participará de um debate sobre educação e desenvolvimento regional na Universidade Federal Fluminense (UFF), no bairro Aterrado. Às 14 horas o compromisso é em Barra Mansa, onde faz corpo a corpo na Avenida Joaquim Leite, Centro.

Em Resende participa de um encontro com o setor produtivo da região, às 16 horas, no bairro Jardim Tropical.  O pré-candidato retorna para Volta Redonda para um evento denominado Grande Encontro com Marcelo Freixo, às 18 horas, na Vila Santa Cecília.

No sábado, estará em Pinheiral, às 9 horas, na Feira Ecológica e de Produtores Rurais, no Centro. Às 11 horas participa do lançamento da pré-candidatura de Jari a deputado estadual, em Volta Redonda.

As cidades do interior do Estado foram ressaltadas pelo pré-candidato a governador. Segundo ele, os municípios podem ser a solução para o Rio de Janeiro, exatamente como acontece em Minas Gerais e São Paulo.  “Só que aqui no Rio, como o interior tem apenas 25% do eleitorado, contra 75% do capital e região metropolitana, os governos não dão tanta atenção. E é isso o que a gente precisa fazer: o interior precisa deixar de ser um ‘problema’ e passar a ser uma solução. O Sul Fluminense já foi o motor do desenvolvimento econômico do país. E tem tudo pronto, ou quase pronto, para voltar a ser”, disse.

Freixo destacou que é preciso atrair de volta os investimentos que sumiram porque o Estado passou a ser governado há muito tempo pelo o que chama de ‘máfia’. “E quem quer investir num estado assim? Hoje somos a capital mundial do desemprego. O Sul Fluminense tem indústria, tem agricultura, tem pecuária, tem cultura, tem turismo, tem futebol…  o que não faltam são opções. Claro que temos problemas emergenciais como a falta de leitos no Zilda Arns, por exemplo, que precisam ser resolvidos. Mas o que não falta nesta região é potencial de desenvolvimento. E é isso que vamos explorar ao máximo”, concluiu.