Fraternidade sem Fronteiras inaugura Centro de acolhimento para atendimento às pessoas em situação de rua

0

ESTADO

A Organização humanitária Fraternidade sem Fronteiras (FSF) inaugura nesta quarta-feira, dia 30, a partir das 10 horas, o Centro de Acolhimento Referência no Rio de Janeiro, uma ampliação do Projeto Fraternidade na rua, da FSF. O projeto, que já possuía um polo no MS, foi ampliado para as cidades do Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP, Uberlândia/MG e Belo Horizonte/MG, podendo chegar a outras regiões do país e apoiar iniciativas já existentes.

De acordo com o fundador-presidente da FSF, Wagner Moura Gomes, o prédio, na Capital fluminense, conta com 900 metros quadrados e está localizado na Rua do Senado, 52, no Centro. Ele reforça que o ponto é estratégico para os serviços que começam a ser prestados pela Organização às pessoas em situação de rua, como higiene, refeições, recolocação profissional e atendimento à saúde. “Nossa intenção é aumentar os atendimentos conforme as doações cheguem. Toda a manutenção do Centro será feita pelo apadrinhamento no valor mensal mínimo de R$50 ao Projeto Fraternidade na Rua”, detalhou Moura Gomes.

Os atendimentos neste primeiro dia de funcionamento serão os de banho, corte de cabelo e unha, serviços sociais e psicológicos. Além disso, empresas parceiras irão oferecer oportunidades para a recolocação profissional e o retorno aos estudos. Também serão servidos lanches e água ao longo do dia.

A coordenadora do Fraternidade na Rua – polo Rio de Janeiro, Isabel Nascimento informou que a unidade que funcionará de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, tem 20 banheiros divididos entre masculino e feminino, além de área para banho com duchas, cozinha ampla, refeitório e áreas para triagem e atendimento médico. Ela conta que, por dia, pelo menos 40 voluntários irão se revezar para os atendimentos nas áreas de saúde, psicologia, assistência social, cozinha e artes. “Vimos diversas necessidades, agravadas principalmente com a pandemia, e por isso optamos pela criação deste centro, para não só oferecer um prato de comida ao longo do dia, mas também um local com acolhimento de forma fraterna”, explica a coordenadora reiterando que o objetivo é fazer com que essas pessoas voltem a ter esperança. “Pretendemos resgatar a identidade e dignidade dessas pessoas”, disse a coordenadora acrescentando que, atualmente, a estimativa é de que 16 mil pessoas vivem pelas ruas do Rio de Janeiro.

Projeto Fraternidade na Rua – o atua de forma expansiva na criação, manutenção e ampliação de diversas frentes de trabalho na transformação de pessoas em situação de rua no Brasil. É mantido pelo sistema de apadrinhamento, doações e mobilização de voluntários sensíveis à causa.

Sobre a Fraternidade sem Fronteiras – A FSF é uma Organização humanitária e Não-Governamental, com sede em Campo Grande (MS) e atuação brasileira e internacional. A instituição possui 68 polos de trabalho, mantém centros de acolhimento, oferece alimentação, saúde, formação profissionalizante, educação, cultivo sustentável, construção de casas e ainda, abraça projetos de crianças com microcefalia e doença rara.

Todos os trabalhos são mantidos por meio de doações e principalmente pelo apadrinhamento. Com R$ 50 mensais é possível contribuir com um projeto e fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Mais informações podem ser obtidas pelo site www.fraternidadesemfronteiras.org.br.