Fórum Regional em Resende discute caminhos para a superação da violência

0

RESENDE

A violência instalada na nossa sociedade será debatida neste sábado em Resende por lideranças religiosas, da política, do judiciário, da segurança pública e das ciências sociais. É o I Fórum Regional de Superação da Violência que acontecerá das 8 às 17 horas, no auditório do Colégio Salesiano.

Cerca de 300 pessoas se inscreveram para participar do evento, que é uma parceria entre a diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda e representantes da sociedade civil organizada.

Participarão da Mesa de Debates o bispo diocesano, Dom Francisco Biasin; o coordenador regional da Dimensão Sócio Transformadora da Diocese, padre Rafael Ferreira; o coordenador diocesano de Pastoral, Juarez Sampaio. Também foram convidados para o evento, especialistas na área da segurança pública como o escritor, mestre em Antropologia, doutor em ciência política com pós-doutorado em filosofia política, Luiz Eduardo Soares; o Deputado Federal Alessandro Molon (PSB) e Beto Chaves, criador e coordenador do Programa “Papo de Responsa” da Polícia Civil. Ainda comporão a Mesa, os juízes das Varas Criminal e da Infância e Juventude de Resende, Guilherme Martins Freire e Camila Novaes Lopes, respectivamente.

Segundo o padre Rafael Ferreira, idealizador do evento, mesmo com o término da quaresma, a reflexão sobre a violência que foi tema da Campanha da Fraternidade desse ano continua e ultrapassa, mais uma vez, os muros da Igreja, fazendo-se presente em diálogos com toda a sociedade. “Queremos neste fórum compreender esse triste fenômeno chamado violência e juntos encontrarmos pistas, caminhos para superarmos essa violência, conforme nos propôs a Campanha da Fraternidade que vivemos com ênfase durante a quaresma”, destacou padre.

Beto Chaves, criador do Papo de Responsa, trará sua experiência de 15 anos na Polícia Civil – Créditos Annie Castro.

Para o deputado Gláucio Julianelli, o evento se destaca pela oportunidade de dar espaço para a participação dos moradores da região. “Esse encontro assume a responsabilidade de discutir o avanço da violência no interior do estado e fazer a reflexão sobre o aumento do crime organizado no Sul Fluminense. As causas precisam ser discutidas, pois esse é o primeiro passo para propor iniciativas que façam enfrentamento do problema”, afirma

NÚMEROS

De acordo com dados do ISP – Instituto de Segurança Pública do estado do Rio, em 2017 foram registrados 6.731 assassinatos no estado, incluindo homicídios dolosos, por confronto com a polícia, latrocínio (roubo seguido de morte) e lesão corporal seguida de morte. No interior, ainda segundo os dados do ISP, em 2017 foram registradas 1.549 mortes violentas.

PROGRAMAÇÃO:

8h: Credenciamento e exibição dos vídeos da CF 2018;

8h e 30min: Mística;

8h e 50min: Introdução – contextualização;

9h e 10min: Abertura com a fala do bispo diocesano, dom Francisco Biasin;

9h e 40min: “Fato da vida”;

9h e 50min: Cafezinho;

10h e 10min: VER – “Fatos e números da violência”: Dr. Guilherme, Juiz da 2ª Vara Criminal de Resende e Dra. Camila Novaes Lopes, da Vara da Infância e Juventude;

11h: Plenária – Diálogo entre os assessores e os participantes;

11h e 45min: almoço;

12h e 45min: Síntese da manhã;

13h: JULGAR – “Por que violência?”: Luiz Eduardo Soares e Deputado Alessandro Molon.

14h: Plenária – Diálogo entre o assessor e os participantes;

14h e 45min: Cafezinho;

15h: AGIR – “Superar a violência é possível?”: Beto Chaves e Pe. Juarez;

16h: Plenária – Diálogo entre os assessores e os participantes;

16h e 30min: Compromisso – formação e atuação do “Fórum permanente de superação da violência”;

16h e 50min: Apresentação musical e conclusão do dia.

error: Conteúdo protegido !