Fórum de Saúde Mental reúne mais de 300 pessoas em Vassouras

0

VASSOURAS

Pelo menos 300 pessoas participaram do II Fórum de Saúde Mental de Vassouras, com o tema prevenção ao suicídio, nesta quinta-feira, 22, no Centro de Convenções General Sombra, na Avenida Otávio Gomes, Centro. O evento, que faz parte das atividades do Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, reuniu debatedores de diversas áreas como psicólogos, médicos e enfermeiros.

Membros da comunidade também participaram do evento. Uma delas é a agente comunitária, Carmen Lúcia Delgado, de 58 anos, que foi ouvir as palestras por considerar o tema de grande importância para a família. Carmen contou que passou a se interessar pelo assunto por conta da neta de 16 anos, que enfrentou um período de depressão e precisou de tratamento. Hoje a jovem que já está recuperada e vive uma vida tranquila intercalada entre os estudos e trabalho.

“A gente não percebeu a tristeza dela e quando soubemos sobre a depressão demos o maior apoio, buscamos ajuda profissional, ficamos mais atentas ao dia a dia dela, enfim, fizemos tudo que uma família deve fazer quando esses casos ocorrem”, relatou Carmen, lembrando o quanto a depressão é uma doença silenciosa, porém dá sinais claros de existência. “Deveríamos ter percebido quando a minha neta começou a se fechar no quarto e interagir pouco conosco”, concluiu Carmen.

A exemplo da vivência da família da Carmen, a diretora da Saúde Mental, Jacqueline Machado Barboza, afirma que a prevenção ao suicídio é um desafio, mas possível com ações voltadas a subjetividade humana. “Por isso realizamos este evento, cujo propósito é auxiliar os profissionais, famílias, amigos, colegas de trabalho, entre outros, que estejam dispostos a acolher a dor do outro, sem julgamentos”, completou.

A vice-prefeita, Rosi Silva, também falou sobre a importância do acolhimento e do cuidado com a dor do próximo. “Temos que ter a sensibilidade de olhar para o próximo. Não existe esteriótipo para quem tem alguma doença psicológica então vamos prestar atenção nos nossos colegas, amigos e familiares. Você pode ajudar”, comentou Rosi.

A secretária municipal de Saúde, Larissa Vieira, falou sobre a importância do evento.

“O fórum busca incentivar um ambiente de promoção à vida a partir do debate sobre ideação suicida e automutilação, numa perspectiva preventiva e de saúde mental do indivíduo e da coletividade. O principal objetivo da realização desse evento é conscientizar sobre a prevenção do suicídio e da automutilação, buscando alertar nossa sociedade a respeito dessa prática entre os jovens e adultos capacitando também toda rede pública para que possam identificar comportamentos de riscos relacionados à automutilação e ao suicídio”, completou.

TEMAS DEBATIDOS

Durante o fórum foram debatidos os seguintes temas: “A Identificação e Manejo da ideação suicida”, foi abordado pela enfermeira Paula Cristina da Silva Cavalcanti; seguida do tema “Setembro Amarelo: despertando para a vida pela via do amor comunitário”, com a psicóloga Maria Bernadete Medeiros Fernandes Lessa e Camila Teodoro da Silva, Graduanda em Psicologia pela UERJ.

Já o tema “A Implantação de Políticas Públicas em Prevenção do Suicídio”, ficou a cargo do médico Dr. Carlos Felipe Almeida D Oliveira; seguido da abordagem sobre a “A Urgência em Saúde Mental: um atravessamento pelas questões subjetivas e sociais”, apresentado pela psicóloga Lilian Magalhães Leite Costa; seguida do tema “O Sistema Familiar e a Proteção ao Suicídio”, abordado pelo psicólogo Diogo Muxfeldt Paim.

O evento seguiu ainda com apresentação do tema “A Medicalização do Sofrimento, apresentado pela psicóloga Renata Zappa Tavares; Suicídio: O silêncio de uma dor, abordado pelo psicólogo e psicanalista Adilson Novaes Motta.

O encerramento ficou por conta do tema “As equipes de Saúde frente ao Suicídio: a estigmatização do paciente”, a ser abordado pela psicóloga Bárbara Batista Silveira