Finados: como superar a dor?

0

BARRA MANSA

No próximo sábado, dia 2 de novembro, é a data dedicada aos finados no Brasil. Geralmente, neste dia nos deparamos com a saudade, dor e a tristeza. Lembrar-se de parentes e amigos que já se foram pode ser bastante dolorido e provocar, em alguns casos, um sentimento de revolta, principalmente quando ainda se enfrenta as fases do luto.

De acordo com a psicóloga Wanda Elizabeth, a morte é a única certeza da vida e, por esse motivo, é importante aprender a conviver com a saudade e seguir em frente. “Desenvolver a independência emocional é muito importante para superar o luto de um ente querido. Ao sofrer com uma perda, é comum sentir uma diversidade de emoções: tristeza, medo, solidão, raiva e até mesmo uma certa culpa. Vivenciar cada uma dessas sensações é muito importante e essencial para atravessar todo processo do luto”, cita.

Para superar e lidar com a saudade, ela aconselha que a primeira coisa que deve ser feita é lidar com a culpa e a sensação de que poderia ter feito mais pela pessoas que se foi. “Entenda que nenhuma relação é perfeita e que as falhas eventuais não significam falta de amor. Outro ponto é se adaptar à nova rotina e realizar os ajustes necessários para seguir em frente. Mude alguns hábitos e inicie novos projetos. Mesmo sofrendo, é possível encontrar motivações em tarefas produtivas”, informa.

As fases do luto

A psicóloga cita que o luto pode durar entre seis meses a dois anos. Mas que cada indivíduo reage da sua maneira. “Quando resistimos ou pulamos etapas, o sofrimento se prolonga ainda mais e pode gerar problemas emocionais com o passar do tempo. É necessário entender que todas as fases do luto são importantes. Portanto, se entregue às suas emoções, desabafe, libere-se da culpa e chore Cada um vive o luto de uma maneira e não e existe um tempo determinado para cada fase”, orienta.

Negação

Caracteriza-se pela dificuldade em aceitar e a incapacidade de conseguir visualizar um futuro sem a pessoa que foi embora. A dor é tão intensa que parece que o fato não aconteceu.

Raiva

Revolta, sensação de injustiça e a dificuldade de se conformar são as principais sensações durante essa etapa.

Negociação

Neste momento, a pessoa começa a processar e entender que o fato é real e passa a criar estratégias para tentar superar.

Depressão

O Fato é real e irremediável. Então, a ficha cai e a melancolia e a sensação de impotência tomam conta. Durante essa etapa a pessoa toma consciência que a perda é inevitável.

Aceitação

Trata-se da última fase do luto e caracterizada pela serenidade diante da perda.

Ajude as crianças  

No caso do tratamento de crianças, as intervenções são pensadas e planejadas, podendo envolver elementos lúdicos como desenhos, livros, filmes e acessíveis a cada etapa do desenvolvimento infantil.

 

 

Deixe uma resposta

error: Conteúdo protegido !