Filho acusado de manter a mãe em cárcere privado se entrega, mas é liberado

0

VOLTA REDONDA

Na noite de domingo, dia 10, um homem, suspeito de manter a mãe em cárcere privado, se apresentou na 93ª Delegacia de Polícia (DP) de Volta Redonda, acompanhado de uma advogada. Martina Zajc, 55 anos, de origem Islovênia, foi encontrada na Rua João Rodrigues da Silva, no bairro Santa Cruz. Ela foi encontrada desnutrida e a residência estava fechada com barras de ferro e parafusos. Ele alegou, segundo a polícia, que ela tem graves problemas mentais e que a mantinha presa para preservar sua integridade física.

O homem esteve na delegacia, por volta das 18h15min e foi autuado no artigo 133 do Código Penal – abandono de incapaz – sendo liberado em seguida. O caso também será apurado pela Polícia Federal, que irá levantar a situação de ambos no Brasil. Ele disse na unidade que está no país  há mais de um ano e que vende doces em sinais de trânsito e que deixa a mãe em casa, presa, com medo que alguém faça alguma maldade com ela na rua.

SMIDH DA ASSISTÊNCIA À MULHER LIBERTADA

A Secretaria da Mulher, Idosos e Direitos Humanos, em parceria com a Delegacia da Mulher fez o acompanhamento da mulher que foi libertada de cárcere privado. A assistência dada pela secretaria foi realizada durante todo o domingo.

A partir de uma denúncia, a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) foi acionada. A secretária da pasta, Dayse Penna, destacou a importância das pessoas se encorajarem para fazer denúncias como essa e de outras naturezas. “São ações como essas que a gente sai do estado de omissão e ter a comunidade participando é muito importante. Estamos no mês da mulher e Volta Redonda pode contar com uma rede de enfrentamento composto pela Deam, a SMIDH e a Secretaria de Saúde. Todos estão trabalhando com excelência nesse caso”, frisou a secretaria.

A mulher foi encaminhada para o Cais do Aterrado, pois estava debilitada, desnutrida e em estado de surto. Ela foi atendida pela unidade e está sendo acompanhada por profissionais da saúde até que ela se fortaleça.

“Esse tipo de atendimento hoje, só é possível, porque o nosso prefeito Samuca, nos orientou para que criássemos políticas públicas de assistência à mulher. Dessa forma, se perpetua a autonomia da Secretaria e assim, as mulheres que precisam, tem a certeza que na SMIDH, irão encontrar o apoio necessário” finalizou Dayse Penna.

O CASO

Policiais militares do 5º CPA, da 1ª Cia. do 28º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foram acionados pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) para atender uma ocorrência de maus tratos e cárcere privado que estaria ocorrendo na Rua João Rodrigues da Silva, Bloco 205, no bairro Santa Cruz. Chegando ao local indicado pelo Ciosp, os agentes se deparam com uma mulher, trancada na casa e gritando muito. Como ela não fala português, os agentes solicitaram apoio do capitão Alcimar Videira, comandante da 2ª Cia. do 28º BPM, e do 2º Sgtº J. Silva e do 3º Sgt Arruda que falam inglês fluentemente para auxiliar na ocorrência e entender os fatos.

Após conseguir interagir com a vítima, mesmo a casa ainda fechada, Martina contou aos agentes que havia sido trancada na casa pelo filho. Ela disse ainda que, estava nua, com fome e que seu filho teria tentado enforcá-la.

Mulher que estava com várias escoriações pelo corpo disse estar com fome – Foto: Divulgação

Diante dos fatos narrados, o capitão Videira, com o auxílio de uma ferramenta, conhecida como pé de cabra, conseguiu abrir a porta, que assim como as janelas, eram fechadas com barras de ferro e parafusos, para libertar a vítima. Uma vizinha que acompanhava a situação emprestou um vestido para que a mulher pudesse ser retirada do cárcere.

Ao entrar no recinto, o capitão Videira pôde constatar as condições desumanas de sobrevivência que a mulher estava sendo mantida e ainda, confirmou os maus tratos, já que ela apresentava diversas escoriações pelo corpo e estava bastante nervosa.

Com a mulher já libertada do cárcere, o caso foi encaminhado para 93ª Delegacia de Polícia, onde foi registrado.

error: Conteúdo protegido !