Figurótico lança segunda música do álbum ‘Arquitetura Noturna’

0

BARRA MANSA

Depois do lançamento da música ‘Pois é, Poesia’, com a participação ilustre de Bruno Gouveia, do Biquini Cavadão, o Figurótico lança agora a segunda música que fará parte do EP ‘Arquitetura Noturna’. O novo single, que recebeu o nome de ‘Parado na Esquina’, foi disponibilizada hoje, dia 21, em todas as plataformas digitais.

A canção nasceu de uma melodia que por anos ficou na cabeça do guitarrista e vocalista da banda, Figurótico, mas não eram encontradas palavras que encaixassem na métrica embrionária. Depois de engavetada, a música foi mostrada ao amigo e tecladista Dario Aragão Neto, numa tentativa de se fazer um refrão em espanhol, o que chegou a ser feito. Contudo, a versão em espanhol ficou pra depois, mas foi a partir desta que se desvendou o caminho para a melodia e letra finais em português.

Ao contrário de ‘Pois é, Poesia’ que ficou pronta em 10 minutos, essa esperou 10 anos até ser concluída. A composição trata da grande distância que foi do último CD da banda ‘Nos Bastidores da Falácia’, tempo em que tocou como nunca, chegando, em 2019, a fazer 217 shows. Este período sem gravações foi de busca por tais músicas, sendo desengavetadas uma a uma e recompostas a partir de 2017.

As soluções iam aparecendo entre harmonias antigas nos arquivos da banda à novas letras que surgiam retratando o momento. Até se chegar à versão final, foi um emaranhado de escritos, folhas e mais folhas de Word com caminhos possíveis.

Dessa forma assinam a faixa Figurótico, Dario Aragão Neto, Eduardo Pança e Ricardo Leitão. Dario Aragão Neto foi convidado a gravar a música tocando e fazendo o solo de sua melodia no piano, além de um órgão Hammond na base da música. Ao contrário da música anteriormente lançada, esta traz a banda com a formação completa. Com as linhas inconfundíveis do Eduardo Pança no baixo e a bateria do Paschoal Júnior num ritmo acelerado emulando em pequena dose um rockabilly, que pode tanto remeter ao sul do país como ao americano. Tudo isso adaptado à linguagem da banda, com guitarras pontuais surgindo em cada refrão em meio aos vocais.

Quando a música parece acabar surge a estrofe derradeira ‘fim-de-noite’ escrita pelo Ricardo Leitão, que é um parceiro também em versos de ‘Da Terra dos Esbornes’, contida no primeiro disco da banda. Este trecho era uma das opções para o refrão, mas acabou sendo utilizada no final, representando o longo processo que foi o de feitura da música, fazendo a ligação entre o passado ao período de sua conclusão.

Este segundo single será o último a ser lançado separadamente. No dia 5 de novembro sairá o EP completo ‘Arquitetura Noturna’, o terceiro trabalho da banda em comemoração aos seus 20 anos. Os anteriores foram ‘Mamãe, Eu Quero Voltar no Tempo’, de 2006 e ‘Nos Bastidores da Falácia’, de 2012. Esse projeto é fomentado com recursos da Lei Aldir Blanc por meio do Fundo Municipal de Cultura, da Fundação Cultura de Barra Mansa.

Ouça a música