Exposição “Vozes Femininas” pode ser visitada no Museu da Imagem e do Som em Resende

0

Quem ainda não visitou a exposição do projeto “Arte na Capa” promovido pela Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda, através do Museu da Imagem e do Som (MIS), em Resende, não pode perder os últimos dias.

Neste mês de março, que é comemorado o Dia Internacional da Mulher, celebrado no último dia 8, está com uma edição especial. Intitulada “Vozes Femininas”, a mostra conta com capas de discos de vinil de cantoras consagradas da música nacional e internacional como Rita Lee, Elis Regina, Diana Ross, Sara Montiel e Joan Baez, entre outras que abrilhantaram o cenário musical nas últimas décadas. A exposição pode ser visitada até o próximo dia 29, no MIS. A visitação pode ser feita sempre de segunda a sexta-feira, no período de 12 às 18 horas. As peças estão expostas na sede da Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda (FCCMM), na Rua Luiz da Rocha Miranda, número 117, Centro Histórico da cidade. A entrada é gratuita. Escolas e outros segmentos interessados também podem agendar visitação pelo telefone 3354-7530.

A mostra reúne 17 capas de discos de vinil de cantoras famosas nacional e internacionalmente que fizeram sucesso nas décadas de 50, 60, 70 e 80. Entre elas estão Clara Nunes, Cyndi Lauper, Diana Ross, Elis Regina, Elisabeth Cardoso, Gal Costa, Janis Joplin, Joan Baez, Maria Creuza, Maísa, Nancy Sinatra, Rita Lee, Sade, Sarita Montiel e Tetê Espíndola. O objetivo da exposição é valorizar não só as cantoras, no mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, como também os designers que produziram as capas dos discos.

Para a presidente da Fundação Casa da Cultura, Denise Assis, a mostra “Vozes Femininas”, além de trazer um pouco mais sobre a história da música para os dias atuais, é uma forma de homenagear as mulheres. “O Dia Internacional da Mulher é uma data muito importante e que não pode passar em branco. Com esta exposição, que reconhece e valoriza o talento feminino, também estamos jogando luz sobre grandes nomes da música, que fizeram sucesso nas décadas de 1980 e 1990. A exposição é gratuita e vale a pena ser visitada”, destacou Denise Assis.