Ex-funcionários do Vita participam de manifesto em frente ao hospital em Volta Redonda

0

Cerca de 30 pessoas participaram no início da tarde desta sexta-feira, 4, de uma manifestação em frente ao Hospital Vita, no bairro Santa Cecília, em Volta Redonda. O manifesto foi para cobrar os direitos trabalhistas que os ex-funcionários não receberam do Grupo Vita, que deixou a direção da unidade por determinação da Justiça.  Recentemente, o juiz da 4ª Vara Cível do município, Roberto Henrique dos Reis, determinou o despejo do Hospital a partir do dia 30 de junho. E enquanto uma nova empresa não assume a unidade, o Centro Médico foi nomeado como depositário de todos os bens e insumos existentes no hospital.

Ficou estabelecido também ainda que a Prefeitura de Volta Redonda assumirá os atendimentos prestados para os pacientes do Sistema Único de Saúde. E na manifestação de ontem, os trabalhadores cobraram a baixa da Carteira de Trabalho, até a nova empresa poder contratar. Lembraram que os que não foram recontratados pelo Centro Médico querem dar entrada no Seguro Desemprego e sacar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

SEM CARTEIRA ASSINADA

Segundo os manifestantes, alguns foram contratados, porém não puderam ter a Carteira assinada, já que existe esse impasse. Portanto, querem que o acerto legal seja feito o mais rápido possível. Por isso, decidiram fazer o manifesto ontem.

O vereador Carlinhos Santana (SD), que foi procurado por alguns trabalhadores, esteve no ato. Disse que é direito de todo o trabalhador, ter seus direitos pagos em dia. “Não podemos admitir na cidade que qualquer empresa desrespeite isso e saia impune. Vamos cobrar através de todos os meios legais possíveis. Eu já enviei ofício ao Sindicato da Saúde de Volta Redonda cobrando explicações sobre o processo e quais foram as medidas já adotadas”, relatou o parlamentar que já intermediou com o presidente da Câmara, vereador Whashington Granato, uma reunião com os ex-funcionários na próxima terça-feira, 7.

CONTATO COM O PREFEITO

Santana entrou em contato também com prefeito Samuca Silva, que irá marcar uma data para receber os trabalhadores. “O trabalhador que é o mais fraco nessa disputa não pode arcar com esse prejuízo. O grupo Vita que pague o que deve aos funcionários e acerta os aluguéis com a CSN. Quero deixar claro que a CSN não tem nenhuma relação com os funcionários e nem eles estão cobrando isso, o grupo Vita é que está nessa demora de regularizar a situação dos ex- funcionários”, ressaltou o parlamentar, lembrando que vai acompanhar essa questão até que tudo seja solucionado os trabalhadores recebam seus direitos.

O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos em Serviços de Saúde garante que os trabalhadores estão sendo assistidos pela entidade sindical  em ação trabalhista onde requereu verbas resilitórias, baixa CTPS, alvarás Seguro Desemprego e FGTS.

Nenhum representante do Grupo Vita foi localizado até o fechamento desta edição para falar sobre o caso.

 

 

error: Conteúdo protegido !