Estudarte volta à cena com novo projeto

0

VOLTA REDONDA

Nesta sexta e domingo o Grupo Estudarte volta aos palcos do teatro Gacemss para leitura dramática de seus próximos espetáculos. Os ingressos, a preços populares de R$ 10, estão sendo vendidos no local.

Estão na programação à leitura de ‘Barulho’, ‘Pronome Paulista’, ‘O desejo de Eva’, ‘Mulheres Desesperadas’, ‘Apenas Comentando’ e ‘Ana Abóbora e Zé Berinjela – um mundo além das cores’. Ao ‘Quase lá!’ já estão confirmados em cena os atores: Alex Almeida, Demétrio Santos, Filipe Xagas, Lucas Goulart, Ludmila Sousa, Luiz Fernandes, Marcella Amaral, Melissa Santana, Pedro Bitencourt, Ramon Amorim e Thiago Giaccomeli.

De acordo com o diretor do Estudarte e proprietário da RH Soluções Artísticas, Rodrigo Hallvys, a ideia, já existente desde 2017, recebeu o nome ‘Quase lá!’neste ano por marcar o período que de preparação e montagem que todo espetáculo passa chegar a seu produto final. “Também é conhecido como leitura dramatizada e é um hábito mais comum no Rio de Janeiro, onde o público, vez ou outra, tem oportunidade de assistir a construção das cenas através da leitura no ponto em que ela já está recebendo as intenções na fala e começando a preparar gestos, marcas e o ritmo que será impresso no espetáculo”, explica.

O evento, que é um dos passos para o IX Festival de Teatro do Estudarte, é mais uma parceria da RHSA com o Gacemss e já mostra alguns dos novos integrantes da trupe ao lado de parte dos veteranos. “As datas nos foram oferecidas para novo projeto e apresentamos este, pois alguns espetáculos do nono festival já estão definidos e estamos em procedimento de escolha de outros a partir das nuances que os novos integrantes forem construindo em cena até novembro na oficina”, detalha Rodrigo.

O último festival que o Estudarte produziu foi constituído por uma sessão especial para investidores e convidados em dezembro de 2016, na ETPC, comemorando os dezoito anos de diretor de teatro na carreira de Rodrigo Hallvys e, mais três datas no início de fevereiro de 2017, abertas ao público no Centro Cultural Fundação CSN.

Segundo Hallvys, de lá para cá foram pensados novos sedimentos e alguns veículos que o grupo começa a colocar em prática neste ano. “O grupo foi fundado em 2003. Começamos a fazer festivais em 2004 e seguimos direto até 2010. Tivemos um hiato considerável a partir do momento que minha residência no Rio dificultava que eu estivesse periodicamente em Volta Redonda. Em 2016 reequilibramos isso e por questões de reavaliações internas ficamos sem produzir festivais de fim de ano em 2017 e 2018. Esses hiatos acabaram nos fazendo bem”, informa.

NAS REDES

www.rodrigohallvys.com.br
www.rhsolucoesartisticas.com.br
www.grupoestudarte.com.br