Esporte nacional e patrimônio imaterial do brasileiro é desenvolvido na Cidade do Aço

0

“A Capoeira ensina convivência, cultura, música, ritmo e como patrimônio imaterial do povo brasileiro e da humanidade seria ótimo ter o seu ensino e prática na grade curricular das escolas brasileiras”. Essa declaração foi feita, recentemente pela secretária Municipal de Esporte e Lazer de Volta Redonda, Maria Paula, durante uma apresentação em comemoração ao Dia Nacional do Capoeirista na Ilha São João.

A Capoeira começou como brincadeiras e jogos nas senzalas e hoje é reconhecida, como esporte pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão público do Ministério da Cultura, como um bem patrimonial cultural imaterial brasileiro. Em Volta Redonda, a prática da Capoeira em locais públicos começou com o mestre Boa Viagem, Milton dos Santos Costa, falecido em 2002. A ação continua com a viúva do mestre, Márcia Regina, a mestre Marciana. Ela está à frente do Projeto da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer de Volta Redonda (Smel-VR). Márcia, que integra a Associação de Capoeira Angola Nagô Visão de Águia de Volta Redonda, ensina o esporte, gratuitamente, para as pessoas da Melhor Idade e crianças.

As aulas do Projeto, em Volta Redonda acontecem nas unidades esportivas e de lazer dos bairros Retiro, Vila Mury, São Luiz, e na Ilha São João. A iniciativa atende crianças e a Melhor Idade. O aposentado Albertino Ferreira, o ‘Nô’, de 77 anos, é um dos atendidos pelo Projeto. Residente no bairro Eucaliptal, ele pratica capoeira há 15 anos e participa junto com a esposa, a também aposentada Maria Luiza, a ‘Malú’, de 75 anos. Ela disse que a Capoeira só faz bem para a saúde. Lembrou que é uma diversão para se mexer e melhorar o corpo e os movimentos.

Outra praticante, a aposentada Maria José da Silva Nicolau, a ‘Pérola’,91 anos, e a idade não é um problema para a prática esportiva. Ela declarou que, a Capoeira a ajudou muito e é boa para jovens, como também para as pessoas idosas. “Pretendo continuar a frequentar as aulas até quando o corpo aguentar”, comentou.

Pessoas interessadas em participar das aulas, que são gratuitas, devem se inscrever nos locais onde há aulas. A listagem pode ser verificada com a Smel pelo telefone (24) 3339-2105. Vale lembrar que, a Capoeira para a Melhor Idade é adaptada.

E para mostrar um pouco das atividades desenvolvidas em Volta Redonda, com a participação da Mestre Marciana, a Smel promoveu, recentemente, um Aulão de Capoeira na quadra de esportes da Ilha São João, com o Projeto Melhor Idade em Movimento, reunindo alunos adultos, com idade entre 65 e 91 anos, e um grupo de 15 crianças, com idade entre 3 e 14 anos.

A secretária Municipal de Esporte e Lazer de Volta Redonda, Maria Paula Tavares, destacou que a capoeira é um esporte nacional e também um patrimônio imaterial do povo brasileiro. “A capoeira ensina convivência, cultura, música, ritmo, e como patrimônio imaterial do povo brasileiro e da humanidade, seria ótimo ter o seu ensino e prática na grade curricular das escolas brasileiras”, finalizou.

error: Conteúdo protegido !