Tragédia em Itatiaia: corpo de jovem barra-mansense é encontrado

0

ITATIAIA
Equipes do Corpo de Bombeiros de Resende e Itatiaia, além da Defesa Civil, Guarda Municipal e voluntários retornaram, na manhã desta segunda-feira, dia 21, as buscas pelos banhistas desaparecidos na cabeça d’água que atingiu, no final da tarde de domingo, o município.  Uma equipe do A VOZ DA CIDADE está no local, onde se apura o encontro de mais um corpo (fato já confirmado pela prefeitura, por meio de sua assessoria). O corpo é de uma jovem de 19 anos identificada inicialmente como Julia Miranda, natural de Barra Mansa e moradora do bairro Jardim Esperança, em Resende.

Na tarde desta segunda-feira equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal e voluntários iniciaram novas buscas entre o Paraíso Perdido e a Fazenda Aleluia, num total de aproximadamente cinco quilômetros de varredura.

Julia é natural de Barra Mansa, mas morava em Resende atualmente

Pessoas e turistas que se banhavam nas águas do Rio Campo Belo, na localidade conhecida como Paraíso Perdido, foram arrastados pela correnteza. Oficialmente, segundo o Corpo de Bombeiros, famílias de duas pessoas, uma jovem de 18 anos e um idoso, informaram o desaparecimento.  Na noite de ontem, um corpo de um homem, identificado como José Soares, de 55 anos, foi encontrado em uma região abaixo de um balneário, em um hotel. O corpo foi resgatado e levado para o Instituto Médico Legal de Resende (IML).

José Giovani Soares foi outra vítima – Redes Sociais

BUSCAS
De acordo com as primeiras informações do Corpo de Bombeiros, as buscas recomeçaram por volta das 6h30min e estão sendo feitas por terra. Várias equipes do Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Guarda Municipal e voluntários estão percorrendo as margens do rio campo Belo, a procura de vítimas. O ponto de buscas começou do balneário próximo de um hotel e segue para cima do rio, em direção ao Parque Nacional.

“Como a água abaixou, estamos fazendo as buscas por terra, percorrendo toda a margem para ver se encontramos alguma vítima, que pode ter ficado presa nas pedras ou na vegetação. Vamos percorrer a pé toda a extensão contrária do rio até chegar a localidade de onde os banhistas teriam sido arrastados”, disse um militar.

Vídeo mostra o momento em que a cabeça d’água chega e muitos ainda permanecem na correnteza.

error: Conteúdo protegido !